Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  7.31 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Pirólise de polipropileno pós-consumo visando a obtenção de novos produtos
Autor:  
  Samuel Kahlow   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UTFPR/ENGENHARIA MECÂNICA E DE MATERIAIS
Área Conhecimento  
  ENGENHARIA DE MATERIAIS E METALÚRGICA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2007
Acessos:  
  577
Resumo  
  Este trabalho trata da pirólise térmica e catalítica do polipropileno (PP) pós-consumo; presente em rótulos (r) e tampas (t) de garrafas na presença e ausência de xisto betumino. Inicialmente foi verificado que os rótulos apresentam maiores teores de cargas inorgânicas; 8;76%; e 0;25%; para as tampas. As pirólises térmicas e catalíticas apresentaram rendimentos em líquidos combustíveis na faixa de 68 a 85%. Tais produtos são constituídos de hidrocarbonetos saturados e insaturados com faixas de destilação entre 30 a 225C e poder calorífico superior na mesma faixa da gasolina; 44;85 – 45;680 kJ/g; com teores de enxofre inferiores. Na pirólise térmica as cargas presentes nos rótulos não influenciaram nas características do produto gerado; prevalecendo as características do polipropileno. No entanto; na pirólise catalítica; empregando catalisador de FCC exaurido; observou-se que as cargas dificultaram a ação do catalisador. A avaliação do aproveitamento dos resíduos gerados constituídos e cargas minerais e materiais carbonizados como adsorventes foi realizada empregando ensaios normatizados (ASTM). A amostra produzida da pirólise do polipropileno de tampas no xisto; PP[t]XA; apresentou os melhor resultado com azul de Metileno (14;11mg/g); ou seja macroporidade. A amostra produzida da pirólise catalítica do polipropileno de tampas em atmosfera de dióxido de carbono; PP[t]CA – CO2; apresentou o melhor resultado com o Iodo; 74;56 mg/g; ou seja; microporosidade. Estes ensaios permitem concluir o razoável potencial adsorvedor dos resíduos de pirólise; a serem utilizados no tratamento de efluentes; já que não são resíduos perigosos. Este estudo mostra as potencialidade da utilização do polipropileno pós-consumo; desprezado pela reciclagem convencional; em produtos de grande valor agregado.
     
    Baixar arquivo