Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  596.43 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Raízes do Brasil de Sérgio Buarque de Holanda como pólo de relações de intertextualidade
Autor:  
  Luiz Homero Groff   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNISC/LETRAS
Área Conhecimento  
  LETRAS
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  18,728
Resumo  
  O objetivo deste trabalho consistirá em analisar as relações de intertextualidade tecidas ao redor da obra Raízes do Brasil ; de Sérgio Buarque de Holanda. Como é bem sabido; o autor deste texto se apropriou de noções e teorias provenientes da Sociologia alemã do começo do século XX; cujos representantes mais destacados foram Max Weber e Georg Simmel. Encontramos em Raízes do Brasil referências explícitas às obras de Max Weber de quem Sérgio Buarque adaptou a concepção de tipo sociológico. Parte do nosso trabalho foi identificar e comentar essas referências. Por isso as relações de Raízes do Brasil com a obra weberiana são bastante conhecidas; mas; menos o são; nos parece; os vínculos do texto de Sérgio Buarque de Holanda com a obra de seus antecessores brasileiros pertencentes a uma geração anterior. Há em Raízes do Brasil um diálogo implícito; um contraponto; com aqueles autores que; desde uma perpectiva naturalista; escreveram sobre nossa realidade social. Eles consideraram que as características de nossa sociedade dependiam de fatores como o clima; a topografia de nosso solo; as particularidades das raças que aqui habitaram; desdenhando; assim; aspectos culturais como a língua; a religião; as instituições políticas; em suma; nossa herança cultural ibérica; aspectos que o texto de Sérgio Buarque de Holanda considera como determinantes na formação da nossa sociedade. Ao construir Raízes do Brasil; Sérgio Buarque de Holanda; não dialogou só com os autores alemães; nem com aqueles autores brasileiros pertencentes a uma geração anterior; como também com seus contemporâneos brasileiros pertencentes ao movimento modernista. Tentamos situar o autor dentro deste movimento e determinar como chegou a formar o conceito do “homem cordial”. Por último; tentamos estudar como os autores posteriores que escreveram sobre nossa realidade se apropriaram do texto de Sérgio Buarque. Apropriações que vão desde a alusão explícita até a implícita; más também; às vezes; o plágio. Nosso trabalho está dividido em quatro capítulos. No primeiro capítulo dissertamos sobre o conceito de intertextualidade a partir das perspectivas de G. Genette e de J. Kristeva. No segundo capítulo; nos ocupamos dos vínculos entre a obra de Sérgio Buarque de Holanda e a sociologia de Max Weber. No terceiro; escrevemos sobre as relações implícitas entre nosso autor e os autores naturalistas; e sobre sua relação com o movimento modernista. Por fim; no último capítulo nos ocupamos da repercussão de Raízes do Brasil sobre outros textos que abordaram a questão da formação de nossa sociedade.
     
    Baixar arquivo