Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  720,02 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Hipersensibilidade auditiva e o perfil pragmático da linguagem de crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista
Autor:  
  Erissandra Gomes   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRGS/CIÊNCIAS MEDICAS: PEDIATRIA
Área Conhecimento  
  MEDICINA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  691
Resumo  
  RESUMO A hipersensibilidade auditiva no Transtorno do Espectro Autista é citada na literatura desde os primeiros relatos; contudo ainda é pouco explorada; principalmente em relação às causas; ao diagnóstico e às conseqüências. Considera-se relevante compreender melhor as relações da mesma com a comunicação dos autistas. Objetivo: comparar o perfil pragmático da linguagem dos sujeitos com Transtorno do Espectro Autista hipersensíveis ao som e os não hipersensíveis ao som. Métodos: estudo transversal com dois grupos de crianças e adolescentes: 11 hipersensíveis ao som e 33 não hipersensíveis ao som. Os sujeitos realizaram avaliação auditiva; após; analisou-se o perfil pragmático da linguagem. Resultados: não houve diferença estatisticamente significativa no número de atos comunicativos por minuto; entretanto o meio verbal foi mais utilizado pelos sujeitos hipersensíveis ao som (P=0;01) e o meio gestual pelos sujeitos não hipersensíveis ao som (P=0;01). Cinco funções comunicativas diferiram entre os grupos (P<0;05): pedido de objeto; comentário; exclamativo; expressão de protesto e nomeação. As funções comunicativas mais interativas foram mais freqüentes nos sujeitos hipersensíveis ao som (P=0;01). Conclusão: os dados demonstram uma superioridade no perfil funcional da comunicação das crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista hipersensíveis ao som. Palavras-chave: transtorno autístico; hipersensibilidade; percepção auditiva; linguagem.
     
    Baixar arquivo