Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  4,90 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Por um urbanismo pós-crítico. A inserção da poiesis nas ciências aplicadas ao urbano
Autor:  
  Camilo Vladimir De Lima Amaral   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFMG/ARQUITETURA
Área Conhecimento  
  ARQUITETURA E URBANISMO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  1.188
Resumo  
  Numa perspectiva pós-crítica à razão científica moderna; este trabalho busca compreender como; ao longo do tempo; os diversos "Planos Diretores" de Goiânia refundaram (ou melhor; produziram poiéticamente) o espaço urbano desta cidade. Para isso; buscaremos discutir a cientificidade dos modelos e das teorias urbanas empregados; destrinchando suas premissas e fazendo ligações com a evolução; no contexto brasileiro e internacional; das "visões conflitantes" do que seria o próprio planejamento urbano. O objetivo é compreender como essas premissas da ciência aplicada ao planejamento urbano se relacionam dialeticamente com o objeto (neste caso; Goiânia); e por isso demanda a inserção do conceito de poiesis na própria ciência: a invenção como medida da verdade científica. Busca-se entender; para além do criticismo e sua negatividade absoluta; como cada formulação dos problemas urbanos engendraram certas virtualidades e campos cegos; procurando formular uma objetividade engajada do espaço que permita a inclusão do Outro como agente legítimo de sua produção. Repensar a estética (atualmente excluída do universo da ciência aplicada à produção das cidades); no seio do real (agora; como o realizado); é um trabalho árduo que esta dissertação tentará traçar. Não se trata de tentar construir uma ponte entre a cisão histórica da Arte e do Urbanismo (poiesis e ciência); mas de buscar o campo intersectante desta cisão; aquela brecha (possibilidade) que é ao mesmo tempo limite; espaço de troca dialética (diálogo) e espaço comum entre os dois. Baseados no caso particular de Goiânia; pretendemos estabelecer as possibilidades de uma Estratégia Pós-Crítica (pós-negativa) de transformação social. Esta atitude redefine a universalidade única do Urbanismo Moderno e propõe novos sentidos para a metamorfose do espaço social (espaço vivido; espaço vivo); que se transforma; assim; num Campo Fluído; apresentação e objeto de um Urbanismo Transmoderno.
     
    Baixar arquivo