Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  756.40 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Histórias de letramento de sujeitos egressos da educação de jovens e adultos
Autor:  
  Maria do Carmo Araujo   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFCG/LINGUAGEM E ENSINO
Área Conhecimento  
  LINGÜÍSTICA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  447
Resumo  
  A presente dissertação tem como objetivo relatar os resultados de uma investigação sobre as práticas sociais de letramento de dois sujeitos egressos do ensino médio em um programa de EJA; funcionários efetivos da Prefeitura Municipal de Campina Grande; nas funções de assessor administrativo (sujeito A) e gari (sujeito B). Busco; através da utilização de instrumentos e metodologias tradicionalmente específicas da etnografia; e da análise de documentos sobre a Educação de Jovens e Adultos; responder às questões - Como os sujeitos egressos desse programa; que exercem funções públicas em serviços de baixa remuneração; lidam cotidianamente com as práticas; os eventos e os textos em ambientes diversificados? e Que mudanças ocorreram nas práticas letradas desses sujeitos em relação às suas trajetórias de vida?. A linha teórica adotada para a dissertação é a dos Novos Estudos do Letramento; ou Teoria Social do Letramento (Szwed; 1981; Barton e Hamilton;2000; Gee;2000); com destaque para as noções de letramento profissional (Descardeci; 2005) e letramento familiar (Heath; 1982; 1983). Em relação à primeira pergunta; os resultados da pesquisa sugerem que o sujeito A; para desempenhar a função de auxiliar administrativo; não desenvolve práticas de leitura no local de trabalho; mas lida minimamente com impressos; através de práticas de escrita de documentos burocráticos. Por outro lado; não há demandas de letramento para o sujeito B exercer a sua profissão de gari. Já os dados dos ambientes familiares dos sujeitos revelam que os objetos; as práticas e os eventos deste domínio incluem usos diversificados da escrita e a sobreposição de diversos letramentos; revelando; assim; a característica do multiletramento. Também se observa que as práticas de letramento do sujeito B são mais diversificadas do que as do sujeito A; em função de ele utilizar os diversos letramentos (religioso; acadêmico e comunitário) na construção do seu projeto de se tornar político. Em relação à segunda pergunta; os dados revelam que não houve mobilidade dos sujeitos nos seus locais de trabalho em função da escolarização; que só garantiu a mobilidade dos sujeitos no âmbito da escolarização; (ingresso na instância universitária); para o que contribuiu; de forma decisiva; a história de autoletramento dos sujeitos; motivada por diferenciados projetos de vida.
     
    Baixar arquivo