Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  938.18 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Educação profissional de nível médio: formação para a cidadania ou emancipação humana?
Autor:  
  Dorcelina Aires Rosa   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UERJ/POLÍTICAS PÚBLICAS E FORMAÇÃO HUMANA
Área Conhecimento  
  POLÍTICA PÚBLICA E POPULAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  853
Resumo  
  O presente estudo tem como objetivo analisar o ensino médio das escolas técnicas da rede FAETEC; no estado do Rio de Janeiro. A fim de compreender os efeitos das políticas públicas adotadas no Brasil a partir da década de 90 do século passado; como imposição do modelo de acumulação neoliberal; com a globalização hegemônica e a perspectiva de educação direcionada à formação do cidadão produtivo; identificar a atuação de uma contra-hegemonia capaz de impulsionar as transformações na escola. A pesquisa pode ser caracterizada como teórico-empírica de natureza qualitativa; através da observação em campo; entrevista e questionário. Segue o método do materialismo histórico para analisar as mediações fundamentais na escola técnica e nas políticas públicas para compreender as contradições que determinam o tipo de cidadania que tem direcionado a formação humana nesta instituição: Se tem a perspectiva limitada aos interesses do sistema produtivo; ou ultrapassa estes; realizando uma educação na perspectiva da emancipação humana. A revisão bibliográfica possibilitou a contextualização da educação desenvolvida na FAETEC no panorama da educação brasileira marcada pela dualidade entre a formação geral e o ensino profissional; como decorrente da divisão internacional do trabalho entre proprietários e não proprietários dos meios de produção desde a antiguidade. O que requer também uma separação na educação; que deve ser ampla para as classes dominante e restrita ao desempenho das atividades produtivas à classe trabalhadora. Caracterizando a dissociação entre as categorias trabalho; educação e cidadania ao longo do processo histórico; demonstrando que nas sociedades marcadas pelas desigualdades sociais o exercício da cidadania é sempre limitado às possibilidades do sistema. Neste inicio de milênio; marcado pela exclusão social; a educação precisa romper os limites do sistema hegemônico apontando para perspectiva de emancipação humana; que somente será possível numa sociedade na qual o ser humano possa desenvolver todas as suas potencialidades; isto é uma sociedade sem classes.
     
    Baixar arquivo