Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.61 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A brincadeira na instituição de educação infantil em tempo integral: o que dizem as crianças?
Autor:  
  Viviam Carvalho de Araujo   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFJF/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  1,953
Resumo  
  A importância de práticas que inserem a brincadeira no currículo educacional e nas propostas pedagógicas das instituições de educação infantil é uma das formas de se considerar as culturas infantis e entender as crianças enquanto sujeitos históricos; que participam e transformam a realidade em que vivem. Esta pesquisa teve como objetivo investigar o lugar do brincar em uma instituição de educação infantil em tempo integral a partir da perspectiva das crianças. A abordagem teórico-metodológica adotada caminhou no sentido de se considerar as crianças enquanto sujeitos de direito; produtores e consumidores de cultura. A pesquisa teve como universo empírico uma escola de educação infantil em tempo integral da Rede Municipal de Ensino de Juiz de Fora. Os sujeitos da investigação foram 20 crianças; entre 4 e 5 anos; que freqüentam a instituição. Os procedimentos metodológicos adotados foram a observação envolvendo situações em que as crianças brincavam e a utilização de desenhos produzidos por elas que; aliados à oralidade; tornaram-se um procedimento metodológico possível de fomentar o discurso das crianças a respeito do tema. Esta discussão baseou-se nos conceitos teóricos abordados por autores da perspectiva histórico-cultural; como Vigotski; Leontiev e Elkonin; que apontam que a brincadeira de faz-de-conta é a atividade principal das crianças na idade pré-escolar. Buscou-se também um diálogo com autores da sociologia da infância; uma vez que essas duas abordagens caminham no sentido de compreender o brincar infantil como uma atividade histórica e cultural e as crianças como sujeitos de sua história. Ao construir um deslocamento de uma pesquisa sobre as crianças e se buscar pesquisar com elas; partiu-se da premissa de que elas são informantes qualificados na investigação. A partir da perspectiva das crianças; os resultados indicam que o lugar do brincar é muito importante e significativo para o grupo investigado e que a brincadeira de fazde- conta é a principal atividade desempenhada por elas no contexto da instituição de educação infantil que freqüentam. Contudo; as discussões realizadas nesta pesquisa apontam o quanto o tema relacionado à brincadeira ainda precisa ser debatido no meio educacional; principalmente nos espaços de formação dos professores.
     
    Baixar arquivo