Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.72 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Ambientalismo, conhecimento tradicional e reservas extrativistas na Amazônia legal: a visão dos técnicos do Instituto Chico Mendes
Autor:  
  Daniel Santos Menezes   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNIR/ADMINISTRAÇÃO
Área Conhecimento  
  ADMINISTRAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  356
Resumo  
  O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO) herdou do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (IBAMA) parte de seus recursos humanos e suas atribuições. Com isso; o ICMBIO herdou também a complexidade do pensamento ambientalista existente no IBAMA; os conflitos; complementaridades e contradições entre as vertentes desse pensamento. A partir da classificação do ambientalismo nas vertentes preservacionista; sustentabilista e sócio-ambientalista; a pesquisa objetivou analisar as relações existentes entre essas vertentes e as concepções sobre o conhecimento tradicional; visões de Reservas Extrativistas (RESEX) e extrativismo; procurando-se compreender como os técnicos do ICMBIO enfrentam essas relações. É uma pesquisa do tipo levantamento com corte transversal. A população consistiu dos servidores com formação acadêmica superior em atividade nas unidades de conservação federais na Amazônia Legal ou em suas coordenações regionais. Utilizou-se de questionário com questões adotando escala do tipo Likert; a partir de indicadores elaborados com fundamento na literatura. O questionário foi disponibilizado na internet para preenchimento on-line. Foi utilizada a análise de freqüências e partições cruzadas com diretorias e coordenações; formação acadêmica e estado da federação. Os resultados indicaram a presença de um ambientalismo misto; composto por contribuições das várias vertentes. Pelos resultados; constatou-se que a predominante é a preservacionista. As visões de conhecimento também apareceram de forma composta. A visão do conhecimento dialógico ou saber ambiental é a concepção predominante. A concepção das RESEX enquanto unidade de conservação que concilia preservação e justiça ambiental é predominante na visão dos técnicos do Instituto. O extrativismo é visto como viável economicamente; desde que sejam realizados investimentos adequados. Por meio da análise fatorial foi selecionado o grupo de variáveis que explicasse a maior variância dos posicionamentos. O grupo selecionado foi denominado de sócio-ambientalista; em razão de seu conteúdo. A análise de clusters hierárquicos gerou três classes de respondentes que foram denominadas; respectivamente; de: favoráveis ao sócio-ambientalismo; sócio-ambientalistas moderados e opositores ao sócio-ambientalismo. Os servidores se distribuíram quase eqüitativamente pelas três classes. Relações significativas entre essas classes e algumas formações acadêmicas; diretorias e estados de exercício dos servidores foram encontradas.
     
    Baixar arquivo