Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  973.15 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A aproximação de Popper com a epistemologia evolucionária
Autor:  
  Eloi Pedro Fabian   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  PUC/RS/FILOSOFIA
Área Conhecimento  
  FILOSOFIA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  770
Resumo  
  Esta tese pretende demonstrar que o aprofundamento da aproximação de Popper com o método evolucionário (Tentativa e Erro); a partir dos anos de 1960 determinou uma mudança em sua epistemologia. Para tanto; procuraremos atingir os seguintes objetivos: I) Demonstrar uma primeira aproximação de Popper com o método evolucionário; nas obras até 1960; de forma ainda tímida e metafórica. Nesse momento; o autor serve-se de tais conceitos apenas para explicitar seu método falsificacionista; que; ao criticar o problema da demarcação e da indução; ainda tinha como fonte de legitimidade científica de falsificação de uma teoria e do crescimento do conhecimento uma base empírica e um apego aos postulados positivistas. Ressaltamos; ainda; o fato de Popper estabelecer um critério de demarcação ambíguo e convencionalista; porque tanto selecionava métodos; quanto teorias; além de não responder por que uma teoria; como a de Einstein; é melhor que a teoria da psicanálise de Freud; a não ser através de um critério convencionalista. II) Destacar que o aprofundamento da aproximação de Popper com o método evolucionário (Tentativa e Erro); a partir dos anos de 1960; determinou uma mudança em sua filosofia falsificacionista; através dos seguintes pontos: i) Defesa de que existe uma semelhança entre a seleção das teorias mais aptas com a seleção das espécies mais bem adaptadas; ou seja; partimos de problemas; tentativas de solução e eliminação do erro; tanto no âmbito natural quanto no epistêmico; ii) A base de legitimidade científica; de falsificação de uma teoria e do crescimento do conhecimento; que estava fundamentada numa base meramente empírica até aos anos 60; ganha novos componentes; mediante a defesa de um conhecimento objetivo; sem um sujeito conhecedor; mediado pelo mundo 3 (teorias) e pela função argumentativa e crítica da linguagem. O critério de legitimação de uma teoria ocorre a partir do Método de Tentativa e Erro que se caracteriza pelo uso crítico da experiência; iii) Ambos; ‘mundos 1; 2 e 3’ e a função argumentativa e crítica da linguagem; também são reflexo de uma adaptação evolutiva do universo até seu ponto máximo que é o homem. Com isso; o critério popperiano de demarcação fica menos restritivo por admitir que os ‘programas metafísicos de investigação’ são fundamentais para a descoberta de novas teorias científicas e na busca da aproximação da verdade. III) Ressaltar que; no âmbito geral da Teoria da Evolução; Popper está situado numa aproximação genérica que vai desde o darwinismo até ao neodarwinismo; expondo uma postura ambígua e crítica em relação a ambos; com a pretensão de buscar subsídios pertinentes ao seu projeto teórico. Popper pode ser apontado como um autor muito simpático e direcionando-se para uma epistemologia evolucionária; conquanto não tenha tido tempo para realizar essa tarefa efetivamente.
     
    Baixar arquivo