Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  681.38 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  O ócio em Macunaíma: um constituinte de liberdade
Autor:  
  Fábio de Sousa Dantas   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFPB/J.P./LETRAS
Área Conhecimento  
  LETRAS
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  1,281
Resumo  
  A dissertação O ócio em Macunaíma: um constituinte da liberdade tem como objetivo a análise do personagem Macunaíma; levando em conta que a sua ociosidade; vista aqui como uma oposição ao trabalho e como impulsionadora de seu gênio libertário; caracteriza-se como um dos procedimentos que rompem com os paradigmas da literatura produzida no Brasil antes da Semana de Arte Moderna. A partir de pesquisa que revela os pontos de distanciamento entre as concepções de ócio e de trabalho — sendo o ócio entendido como promotor da liberdade; e o trabalho como uma ação que regride a inteligência; em virtude de vetar os seus estímulos de liberdade — compreende-se o arquétipo da preguiça vivenciado pelo personagem de Mário de Andrade como uma representação dos ideais de liberdade e de ruptura com a tradição literária; sendo estes alguns dos eixos estruturantes do Modernismo no Brasil. O primeiro capítulo conta com uma explanação teórica acerca do conceito de ócio; de modo a elucidá-lo como uma ação demarcadora da liberdade; no segundo capítulo; discutese sobre o enquadramento de Macunaíma junto às tendências comuns da concepção de ruptura estética na Arte Moderna. O conceito de Modernismo é tratado com a devida atenção às implicações sociais; políticas e históricas do período em que foi produzida a obra; por fim; o terceiro capítulo corresponde à análise; onde o conceito de ócio – funcionando como premissa de liberdade – é representado simbolicamente nas ações do personagem Macunaíma. Utilizam-se passagens da obra que estão condizentes com a proposta de leitura aqui alçada. E; assim; através da exposição crítica; munida de método que harmonize o contexto exterior à obra com o seu desencadeamento; podemos dar mais um ângulo de visão à rapsódia Macunaíma.
     
    Baixar arquivo