Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  660.61 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Literatura e meio ambiente: vidas secas, de Graciliano Ramos e bichos, de Miguel Torga numa perspectiva ecocrítica
Autor:  
  Maria do Socorro Pereira de Almeida   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UEPB/LITERATURA E INTERCULTURALIDADE
Área Conhecimento  
  LETRAS
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  3,701
Resumo  
  Este estudo tem como objetivo investigar as obras Vidas Secas de Graciliano Ramos e Bichos; de Miguel Torga; na perspectiva ecocrítica; trazendo à tona a percepção do meio ambiente; através da literatura; à medida que vê a interação homem/terra/animal. Visa um olhar sobre o espaço; evidenciando a relação do homem com ele; no sentido de topofilia; amizade com o espaço; topofobia; a aversão ao espaço; topocídio; a destruição do espaço e a topo-reabilitação que seria a possível tentativa de reparação da destruição do espaço pela ação humana. O tempo também é um fator importante no olhar analítico sobre as obras; uma vez que é evidenciado através da natureza e do ciclo vital; inerente ao funcionamento da “máquina do mundo”. Tem como método de abordagem a pesquisa bibliográfica multireferencial que abrange tanto a área da Literatura quanto outras áreas que se relacionam ao meio ambiente; dentro de teorias como: Ecocrítica; Geografia humanista; Ética e Estética que nortearam a proposta do estudo; estando esse dividido em três capítulos: No primeiro trata-se da conceituação da ecocrítica; salientando como ela pode ser estudada. O segundo busca um olhar sob a ética e a estética no intuito de observar a representação desses fenômenos através das ações humanas; numa perspectiva sócio-ecologica. O terceiro capítulo tenta conceituar a topofilia bem como mostrá-la através das obras examinadas. Também compete a esse capitulo a compreensão de topofobia e topocídio para melhor entender como ocorre a relação do homem com o espaço tanto comportamental quanto sentimentalmente. Ainda nesse capítulo e finalizando este estudo observa-se o tempo; o foco narrativo e a simbologia dos personagens nas referidas obras. Constatou-se; ao final da pesquisa; que os autores e as obras analisadas trazem o que há de mais profundo no humanismo; por que relacionam o tempo e o espaço ao ser; apresentaram assim o homem como um todo; colocando-o no seu devido lugar: junto à terra e ao animal; não como superior a esses; mas como elemento que complementa; juntamente com eles; a complexa composição do universo. Trouxe-se também a possibilidade de uma nova abordagem para os estudos literários; que contribuirá com o enriquecimento da crítica e também com a preservação do meio ambiente; na medida em que se leva uma reflexão para qualidade das relações sócio-ambientais na atualidade.
     
    Baixar arquivo