Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2,41 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A Reação Intradérmica de Montenegro na Clínica e na Epidemiologia da Leishmaniose Tegumentar
Autor:  
  Aline Fagundes da Silva   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  FIOCRUZ/VIGILÂNCIA SANITÁRIA
Área Conhecimento  
  BIOLOGIA GERAL
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2007
Acessos:  
  4.971
Resumo  
  A pesquisa consistiu da avaliação da Reação Intradérmica de Montenegro ? IDRM ? como instrumento para inquéritos epidemiológicos e diagnóstico da Leishmaniose Tegumentar Americana - LTA; em duas populações; respectivamente; 400 adultos sadios (Estudo I) e 302 pacientes suspeitos de LTA (Estudo II). O Estudo I foi realizado em região considerada indene de LTA; em Santa Maria; Rio Grande do Sul; e visou a comparação entre a resposta ao antígeno de Montenegro e aos preservativos timerosal e fenol; analisando; entre outros; parâmetros como inocuidade; especificidade e padronização clínica do preservativo; as respostas após 48 horas e em torno de 2 semanas após a aplicação e a Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) em casos positivos ao antígeno. O Estudo II; realizado no Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas- IPEC/FIOCRUZ envolveu; entre outros aspectos; a comparação entre o comportamento da IDRM e os testes de diagnóstico para detecção de Leishmania; bem como o estabelecimento de protocolo de padronização clínica da técnica de aplicação do teste e leitura da reação. Os resultados mostraram que a utilização do timerosal como veículo do Teste de Montenegro em voluntários sadios foi responsável por 12% de falso positivos ao teste. No entanto; cerca de 29;5 % dos 203 voluntários sadios testados foram IDRM- positivos e 1 dos 151 voluntários testados foi positivo `a PCR; evidenciando infecção subclínica por Leishmania na área do Estudo I. Foram evidenciadas reações tardias em 4;5 % dos indivíduos sadios avaliados; mas nenhum dos pacientes apresentou tais reações. O Teste de Montenegro pode ser considerado confortável e seguro para indivíduos sadios e pacientes com LTA e suspeitos; não tendo sido verificadas reações adversas sistêmicas e tendo sido as reações locais discretas e presentes em 21;5 % e 11;2 % dos pacientes; respectivamente. Verificou-se que o método de leitura da IDRM por meio do decalque em papel deve ser usado como alternativa à leitura direta; desde que realizado por profissional obedecendo protocolo padronizado. Entre os métodos de diagnóstico da LTA avaliados no Estudo II; A PCR foi o mais sensível (92;3%); superando a cultura (78 %); a histopatologia (40%) e o imprint (24 %). A co-positividade IDRM - PCR foi de 71;4% e a acurácia de 81;3 %. O conjunto dos resultados encontrados reforça a constatação de que a IDRM é o melhor instrumento para inquéritos de LTA; e; como método diagnóstico; apresenta sensibilidade de 89 %; especificidade de 71;4%; valor preditivo positivo de 68;7% e valor preditivo negativo de 90;3 %
     
    Baixar arquivo