Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  13,68 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Habitação de interesse social, representação social da moradia, apropriações de espaços e intervenções no uso. Estudo de casos: Residencial Jaçanã e Residencial Xavante II em Belém, PA
Autor:  
  Paulo Sérgio Bastos Andrade   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRJ/ARQUITETURA
Área Conhecimento  
  ARQUITETURA E URBANISMO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2007
Acessos:  
  2.778
Resumo  
  Em conjuntos recentes de habitação de interesse social foi constatado que moradores se vêm apropriando de espaços coletivos e fazendo intervenções que alteram a sua integridade funcional e aparência. Este fato contradiz a racionalidade dos projetos; deduzindo-se que há necessidades subjetivas que não têm sido consideradas a priori. Para descobrir razões dessa atitude; foi utilizado o ferramental científico da teoria das representações sociais; de Moscovici; oriunda da psicossociologia. Esta teoria suporta acesso ao inconsciente coletivo do grupo social para revelar essas necessidades obscuras e pôr à luz o sentido da moradia na visão consensual dos moradores; além de possibilitar uma massa empírica ordenada que aponta para pontos antes não percebidos. O sentido da moradia encontrado resumiu-se na categoria léxica segurança; com acepção de satisfação pela conquista de bem material precioso – a casa própria. Foi estudada a relação entre arquitetura e moradores; com destaque para o uso dialético da moradia e foram realizadas pesquisas no Residencial Jaçanã e no Residencial Xavante II; construídos em Belém-PA nos anos de 1998 e 2000; sobre os quais se colheu as opiniões dos moradores. O sentido da moradia posto à luz mostrou-se como responsável pelo problema; estimulando as qpropriações dos espaços e intervenções referidas; além de que os procedimentos e pressupostos da teoria ainda proporcionaram; adicionalmente; descobertas de conexões empíricas importantes; que serviram para suporte de indicativos para conclusões e recomendações para novos projetos; tais como: indispensabilidade de quintal para todas as unidades; flexibilidade projetual; dando como opção o modelo loft nas cozinhas; espaço para personalização ao gosto do usuário; previsão de espaço coletivo de lazer; eliminação radical de áreas sem função; prever mais de uma vaga de estacionamento e a necessidade de projetos complementares para padronização de garagens cobertas a serem construídas pelos moradores depois da ocupação.
     
    Baixar arquivo