Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  396,71 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Avaliação do controle da qualidade do ar ambiente condicionado em salas de operação no município de Goiânia - Goiás
Autor:  
  May Socorro Martinez Afonso   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFG/ENFERMAGEM
Área Conhecimento  
  ENFERMAGEM
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2005
Acessos:  
  2.261
Resumo  
  Estudo descritivo realizado junto aos Enfermeiros que atuam nos centros cirúrgicos dos hospitais cadastrados na Vigilância Sanitária Municipal e na Associação de Hospitais do município de Goiânia; objetivando identificar os tipos de condicionamento de ar utilizados em salas de operação e caracterizar as ações de controle da qualidade do ar ambiente destas salas. A amostra foi composta de 49 hospitais; com um total de 50 centros cirúrgicos; perfazendo 75;7% dos centros cirúrgicos de Goiânia. Foram observados os aspectos ético-legais. Realizou-se entrevista com o enfermeiro responsável pelas salas de operação; e observou-se a estrutura de condicionamento do ar do centro cirúrgico utilizando um check-list construído com base nas diretrizes oficiais. As medidas de controle de qualidade do ar foram divididas em controle ambiental das salas de operação e manutenção do ar condicionado. O sistema de condicionamento do ar mais frequentemente encontrado foi a utilização dos aparelhos do tipo split e de janela; sendo que somente em sete hospitais existem aparelhos de ar condicionado do tipo central. Não houve controle de acesso ao centro cirúrgico em 24%. Em 58% dos centros cirúrgicos; durante a cirurgia; as portas das salas de operação ficaram abertas; somente em três locais a pressão do ar; na sala; foi positiva; as temperaturas máximas em sala oscilaram entre 17 a 28° C e a temperatura mínima entre 16 a 20° C; os sistemas de fluxo de ar eram turbulentos na maioria dos centros cirúrgicos; e em nove hospitais onde está ocorrendo reforma próximo ao centro cirúrgico; as medidas de isolamento adotadas não foram adequadas. Observou-se inadequação das roupas utilizadas pelo pessoal que trabalha nas salas de operação; tanto em relação ao tecido; quanto ao modelo utilizado. Somente em um centro cirúrgico foi encontrado o Plano de Manutenção; Operação e Controle; do sistema de condicionamento de ar; sendo que nos demais a prática de manutenção mais relatada foi a limpeza semanal do filtro do aparelho do ar condicionado. Concluímos; portanto; que a qualidade do ar nestes centros cirúrgicos encontra-se comprometida; podendo constituir-se de fator de risco para infecção em sítio cirúrgico nestes estabelecimentos.
     
    Baixar arquivo