Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  7.79 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Vogais pretônicas /e/ e /o/: um estudo em tempo aparente
Autor:  
  Dircel Aparecida Kailer   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNESP/ARAR/LINGUÍSTICA E LÍNGUA PORTUGUESA
Área Conhecimento  
  LINGÜÍSTICA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  477
Resumo  
  Neste estudo; à luz dos pressupostos teóricos da Sociolingüística Variacionista Quantitaviva; analisamos o uso das vogais pretônicas /e/ e /o/ no falar de 32 informantes; do sexo feminino e do sexo masculino; referentes a 2 regiões paranaenses. Conforme os resultados; verificamos que os contextos lingüísticos são determinantes no alçamento ([u]; [i]) ou na manutenção ([o]; [e]) dessas vogais. Dentre as variáveis lingüísticas; as vogais altas da sílaba seguinte e o [e] e o [o] pretônicos sucedidos por uma vogal foram as que se revelaram mais relevantes na aplicação da regra de alçamento. Quanto às variáveis sociais; sexo; faixa etária e escolaridade; foram pouco significantes; todavia; pudemos verificar que as mulheres; os mais escolarizados; e os informantes com idade intermediária tendem a alçar menos que os homens; os jovens; os mais idosos; os analfabetos. Esse fato pode estar indicando um certo “prestígio” e apontando para a questão das pressões sociais em relação à manutenção das pretônicas [e] e [o] nestas variedades. Embora os resultados das variáveis sociais não possibilitem conclusões definitivas pelos percentuais muito próximos.
     
    Baixar arquivo