Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  800.87 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Qualidade de vida de idosos atendidos pelas equipes de saúde da família em Rio Grande/RS
Autor:  
  Cláudia Beatriz Degani Cardozo de Aguiar da Silva   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  FURG/ENFERMAGEM
Área Conhecimento  
  ENFERMAGEM
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  240
Resumo  
  Os objetivos deste estudo foram descrever o perfil socioeconômico; demográfico e a percepção da qualidade de vida (QV) da população idosa de uma região urbana atendida pelas equipes da Estratégia Saúde da Família; no município do Rio Grande/RS; e analisar a associação entre variáveis de interesse do estudo e a QV percebida dos idosos. Foi realizado um estudo transversal; descritivo; com 301 idosos cadastrados na cidade do Rio Grande; no período de junho a agosto de 2008. Os dados foram coletados por inquérito domiciliar. Para o levantamento do perfil foi utilizado formulário específico e para a avaliação da QV foi utilizado o questionário WHOQOL-BREF. O pacote estatístico para as análises foi o programa Stata; versão 9.2. A análise descritiva dos dados foi feita usando-se média e desvio-padrão para as variáveis numéricas. A comparação das variáveis com os domínios de QV foi feita mediante análise de variância (ANOVA). A medida de ocorrência utilizada foi à prevalência; juntamente com o intervalo de confiança de 95% (IC95). Os quatro domínios de Qualidade de Vida e QV geral foram as variáveis dependentes; sendo propostas 12 variáveis independentes; de interesse para a correlação. Entre os respondentes; 61;3% eram do sexo feminino; com idade entre 60 e 69 anos; 82;7% brancas; 66;1% com baixa escolaridade; 54;8% casadas; 85% aposentadas; 90;4% moram com outras pessoas; 38;9 % são de baixa renda; 76;4% residem em casas de alvenaria e 80;7% contam com água encanada; 86;4% declararam apresentar algum problema de saúde; com destaque para a hipertensão 28;6% e outros problemas cardíacos 14;6%. Uma proporção de 42;2% percebe a sua saúde como regular; não participa de grupos 64;4% e 60;5% faz tratamento ambulatorial. Verificou-se associação positiva e estatisticamente significativa com melhores escores de QV entre os idosos do sexo masculino que obtiveram nos domínios Psicológico e Social; com os idosos entre 60-69 anos nos domínios Físico; Psicológico e Social; da mesma forma com os idosos com maior escolaridade; nos domínios Físico; Psicológico; Ambiental e de QV geral. Em relação ao estado civil; os idosos que referiam viuvez; tinham menores escores de QV nos domínios Físico; Psicológico e Social. Os indivíduos que não estavam aposentados e os que moram acompanhados obtiveram escores mais altos no domínio Físico. Os indivíduos com melhor renda per capita obtiveram melhores escores nos domínios Físico; Psicológico; Ambiental e QV geral. Os que referiam não ter problema de saúde obtiveram melhores escores nos domínios Físico; Psicológico e QV geral. Quanto melhor a percepção de saúde; melhor os escores em todos os domínios. Os idosos que participam de grupos obtiveram melhores escores de QV em todos os domínios. Não estar em tratamento obteve melhor escore nos Domínios Físico e de QV geral. Os resultados do estudo demonstraram a diversidade de fatores que influenciam na QV e a importância de se conhecer o perfil deste grupo etário; para o estabelecimento de políticas públicas de saúde e subsidiar a reorientação das ações que vem sendo desenvolvidas; visando garantir a saúde integral do ser idoso e sua qualidade de vida.
     
    Baixar arquivo