Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  714.45 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  O pão (1892-1896): veículo de divulgação literária e instrumento de intervenção na realidade social cearense
Autor:  
  Luciana Brito   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNESP/ASS/LETRAS
Área Conhecimento  
  LETRAS
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  277
Resumo  
  O presente trabalho visa mostrar que o jornal O Pão (1892-1896); da Padaria Espiritual; além de colaborar para a consolidação das Letras no Ceará; na medida em que permitiu uma maior popularização da incipiente literatura local e regional através da publicação e difusão das obras dos padeiros; também serviu como instrumento de intervenção destes na realidade social cearense com a intenção de modificá-la. Através d’O Pão; os padeiros sentiram-se capazes de criticar; apontar direções e; em muitos casos; modificar a realidade social em que viviam. Negando as transformações oriundas da Belle Époque; passaram a defender o modo de vida simples dos cearenses; ao mesmo tempo em que criticavam as contradições sociais; políticas e econômicas do momento. Neste contexto; a literatura; além de servir como meio de retratar a realidade local; também funcionava como forma de desenvolvimento intelectual; o “pão para o espírito”; como diziam os padeiros. Daí a preocupação com a criação de um público leitor e a valorização do profissional das Letras. Por outro lado; a defesa da representação da realidade brasileira; por parte dos padeiros; necessária para a formação de uma consciência nacional; criou uma barreira à estética simbolista; que chegava à província; uma corrente contrária à arte objetiva e que não correspondia aos modelos literários pré-estabelecidos.
     
    Baixar arquivo