Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.05 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  As perspectivas de um retrato da cultura organizacional de hospitais públicos brasileiros: uma tradução, uma bricolagem
Autor:  
  Helena Heidtmann Vaghetti   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFSC/ENFERMAGEM
Área Conhecimento  
  ENFERMAGEM
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  2,704
Resumo  
  Os hospitais públicos brasileiros têm mostrado descompassos; percebidos no seu gerenciamento e nas questões relativas aos trabalhadores da saúde; que influenciam a produção e organização do trabalho e a assistência prestada nestes espaços. Esta problemática catalisou a presente investigação; na emergência do entendimento destes fenômenos pela cultura organizacional. Também encaminhou os objetivos desta pesquisa; no sentido de traduzir/interpretar os significados acerca de aspectos hospitalares encontrados em estudos empíricos; que continham a temática cultura organizacional de hospitais; e compor um retrato da cultura destes hospitais; na forma de bricolagem. A tese sustentada foi de que a configuração estrutural dos hospitais; as relações dos trabalhadores da saúde com o trabalho nestes locais e a interface de ambos com o modelo público de gestão da saúde são aspectos que evidenciam significados; emergentes da interpretação dos autores; sobre significados construídos e incorporados pelos trabalhadores acerca dos mesmos. A re-interpretação do conjunto destes significados leva à compreensão de traços da cultura organizacional de hospitais públicos brasileiros. O referencial teórico e metodológico esteve assentado na perspectiva subjetivista da antropologia simbólico/interpretativa/hermenêutica defendida por Geertz. Os aspectos hospitalares; capturados de três teses e sete dissertações produzidas nos diversos programas de pós-graduações brasileiros entre 2002 e 2006; constituíram três estruturas de significação: “A cultura de hospitais públicos brasileiros na dimensão organizacional”; “A cultura de hospitais públicos brasileiros na dimensão dos sujeitos no trabalho”; e “A cultura de hospitais públicos brasileiros na dimensão ambiental”. A re-interpretação dos significados apontou que o arranjo funcional dos hospitais; formado pela natureza pública; a burocracia e os desdobramentos destas; contorna um conjunto de significados que traduzem a cultura em que o público e a burocracia são ineficientes; dificultam as demandas hospitalares; aumentam as distâncias entre os sujeitos; acirram conflitos e são instrumentos de discriminação e disputas profissionais. Afora este; outros desenhos de gerenciamentos materiais e humanos ainda são efetivados pelos hospitais; a fim de responder às exigências do modelo público de gestão da saúde; que busca empresariá-los; para a efetiva operacionalização e consolidação do SUS. As tensões resultantes destas transações impactam os significados que os trabalhadores da saúde constroem acerca do seu trabalho e desta lógica gestora. Assim; eles instituem e propagam; através da cultura organizacional; meios criativos de sobrevivência intra-hospitalares e de contra-reações à ingerência do modelo público de gestão da saúde nos hospitais; que se reproduzem nas relações de vínculo; subsistência e oposição processadas nestes ambientes. A expressão material da percepção/tradução/inter-pretação da cultura organizacional de hospitais públicos brasileiros pode ser exposta através do símbolo-significante de um retrato bricolado. Neste; o cenário é composto 8 pela questão do público e da burocracia; as figuras centrais são os trabalhadores da saúde; em relações com seu trabalho; e a moldura constitui-se no modelo público de gestão da saúde; que dirige e ordena a realidade hospitalar. Esta investigação pretendeu fortalecer o estudo da cultura organizacional na especificidade dos hospitais; e; com isto; participar do processo de construção do conhecimento da Enfermagem; fornecendo subsídios para condução deste retrato; onde; sabidamente; os enfermeiros ocupam lugar de destaque.
     
    Baixar arquivo