Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  476.44 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A reprodução ideológica do discurso político na educação: um entendimento através da fala dos professores universitários no contexto do governo Geisel, 1974 – 1979
Autor:  
  Gerson Constancia Duarte   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFES/HISTÓRIA
Área Conhecimento  
  HISTÓRIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  432
Resumo  
  O Regime Militar no Brasil (1964 – 1985) compreende um momento de profundas transformações sociais; econômicas e políticas; as quais o povo brasileiro foi submetido; gerando alterações em seu modo de pensar e de agir. Tais alterações podem ser creditadas ao papel dos Aparelhos do Estado que atuaram tanto através de uma ação direta; pelos Aparelhos Repressivos do Estado; quanto no campo psicossocial; por meio dos Aparelhos Ideológicos do Estado. Cabe especial destaque para a atuação no campo psicossocial; o papel da Escola em todos os seus níveis; a partir da apropriação de uma Ideologia gerada pela Doutrina de Segurança Nacional e Desenvolvimento e difundida em seu interior. Tal Doutrina; levada a efeito pelos agentes reprodutores do Estado; tinha o papel de recriar uma nova Identidade Nacional entre os brasileiros; que estivesse alinhada ao pensamento burguês e a nova proposta de Nação a ser implantada pela nova coalizão Civil/Militar. Nas três décadas em que os militares estiveram no poder; o povo brasileiro assistiu a um Estado autoritário e ditador; que impôs uma política de exceção; para alcançar seus reais objetivos de uma Nação capitalista e desenvolvida. A década de 1970 representa uma fase em que o Estado; frente a um forte processo de desenvolvimento; depara-se com um processo de desaceleração do crescimento; tendo que mudar o tom de seu discurso e iniciar um processo de liberalização política; denominado de Distensão. Nesse mesmo período; o país vê a necessidade da formação de mão-de-obra qualificada para atender à demanda gerada pelo crescimento econômico; assim como vê também a expansão do ensino em todos os níveis para promoção dessa geração de recursos humanos. A expansão do ensino superior; através do incentivo ao ensino privado; desponta como uma alternativa do governo para a geração desses recursos demandados pelo crescimento nacional. Nas universidades; onde há um maior descontentamento com as políticas do governo; o mesmo age para a manutenção da ordem social através de conteúdos aplicados pela disciplina de Estudos dos Problemas Brasileiro; introduzindo nas salas de aulas propagandas das grandes ações do Estado para a manutenção do crescimento; visando ao fortalecimento do sentimento de nacionalismo entre os estudantes. Nesse campo de intervenção do Estado ganham especial destaque os professores que; ainda que de forma silenciosa; ou por temerem uma ação mais violenta Estado; contribuíam para a reprodução das ideologias contidas na Doutrina de Segurança Nacional e Desenvolvimento.
     
    Baixar arquivo