Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  625.52 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Cartas em tempos de guerra: uma missão cívico-patriótica da Associação Brasileira de Educação (1942-1945)
Autor:  
  Glaucia Diniz Marques   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UERJ/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  561
Resumo  
  Examinar as atividades empreendidas pela Associação Brasileira de Educação (ABE) durante o período da Segunda Guerra Mundial; em função dos combatentes aquartelados em Fernando de Noronha; a fim de compreender a relação dessas atividades com o movimento cívico-patriótico presente na entidade desde sua criação; é o objetivo dessa dissertação. Para tanto; foi examinado o dossiê Esforço de Guerra; preservado na ABE; e em especial; a correspondência enviada e recebida; entre 1942 e 1945. Trata-se de uma pesquisa que se inscreve nas preocupações desenvolvidas em estudos sobre a escrita epistolar; particularmente os que se articulam na perspectiva da história da cultura escrita. Estruturada em três capítulos; inicialmente; privilegia uma discussão de natureza metodológica; na qual se ressalta o movimento da investigação para apreender a importância da correspondência entre educadoras e combatentes; as notícias de uma declaração de guerra e as marcas da escolarização sobre o papel. A seguir; no segundo capítulo trato das atividades realizadas pelas abeanas; durante a Segunda Guerra Mundial; o que significou; também; mapear e analisar como as matérias sobre a guerra; publicadas em seu periódico; a Revista Educação; serviram; mais uma vez; para disseminar os discursos cívico-patrióticos da instituição. No terceiro e último capítulo; no qual pude observar os pedidos e os envios de materiais diversos para combater a solidão provocada pelo isolamento físico e as apreensões provocadas pelas notícias do conflito; procurei interpretar as razões que moveram os correspondentes. Ao eleger as cartas trocadas entre os combatentes e as educadoras que colaboraram no Esforço de Guerra; como fonte/objeto de pesquisa; o presente estudo pretende contribuir para ampliar a compreensão de um período pouco examinado pela historiografia da educação; e; em particular; o papel desempenhado pela Associação Brasileira de Educação.
     
    Baixar arquivo