Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.14 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Escola pública: bem-estar docente, mal-estar docente e gênero
Autor:  
  Cecy Maria Martins Marimon Goncalves   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  PUC/RS/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  229
Resumo  
  Esta pesquisa problematiza o bem-estar e o mal-estar docentes e foi realizada com trinta por cento do quadro docente de uma escola pública que atende a aproximadamente mil e novecentos alunos; no município de Alegrete/RS. Trata-se de um estudo quantitativo e qualitativo; que permitiu identificar as relações existentes entre bem-estar e mal-estar docentes e gênero. No âmbito do bem-estar e mal-estar docentes; apóia-se; teoricamente; em Jesus (1997; 1998; 2000) e Esteve (1987; 1994; 2004). Com relação ao gênero; busca suporte nos estudos de pesquisadoras feministas; como Bruschini (1986; 1994); Carvalho (1998; 1999) e Sorj (2005); entre outras. A análise quantitativa possibilitou a compreensão de que o fenômeno mal-estar docente atinge 25% do grupo pesquisado e é atravessado pelas relações de gênero: altos níveis de mal-estar docente acometem apenas as mulheres; enquanto nos níveis elevados de bem-estar docente; a maioria é do sexo masculino. A análise qualitativa permitiu a construção de quatro categorias a posteriori : o bem-estar e o mal-estar docentes relacionados à formação cultural de homens e mulheres e suas conseqüências na realização das tarefas domésticas e profissionais; a importância da dimensão do cuidado; tanto no bem-estar; quanto no mal-estar docentes entre professoras; a relação direta entre os tempos de trabalho escolar e doméstico e os níveis de estresse e exaustão profissional; mudanças no contexto sócio-econômico-político-educacional que se constituem fatores relevantes para o estabelecimento de um quadro de mal-estar docente. As reflexões elaboradas indicam a importância do processo de destradicionalização das relações de gênero; o qual ainda é incipiente na região estudada; para a diminuição dos níveis de mal-estar docente entre as professoras. Apontam; também; a necessidade de ampliar os estudos sobre o tema e de divulgá-los da forma mais abrangente possível; envolvendo; inclusive; os responsáveis pelas decisões e políticas públicas; com vistas a minimizar alguns dos potenciais estressores de ordem extrínseca; presentes na atividade docente; para o grupo investigado.
     
    Baixar arquivo