Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2,07 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Construção e validação do inventário dimensional dos transtornos da personalidade
Autor:  
  Lucas de Francisco Carvalho   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  USF/PSICOLOGIA
Área Conhecimento  
  PSICOLOGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  4.055
Resumo  
  Os transtornos da personalidade podem ser definidos como estilos da personalidade que exibem reações consistentemente inapropriadas; mal-adaptativas ou deficientes frente o sistema social no qual o indivíduo está inserido. A proposta teórica de Millon se caracteriza como uma abordagem que se propõe a explicar o desenvolvimento da personalidade e seus transtornos; bem como a avaliação e diagnóstico desses construtos. O presente estudo teve como objetivo a construção e validação de um instrumento para avaliação de transtornos da personalidade a partir do modelo teórico de Millon. Para tanto; foram aplicados dois instrumentos; o Inventário Dimensional dos Transtornos da Personalidade (IDTP); desenvolvido neste trabalho; e o Millon Clinical Multiaxial Inventory III (MCMI-III); em 350 participantes; divididos em dois grupos: indivíduos sem diagnóstico psiquiátrico (GNP; N = 276); e indivíduos com diagnóstico psiquiátrico (GPS; N = 74). Para verificar a estrutura interna do IDTP; foram realizadas análises fatoriais exploratórias; bem como uma análise fatorial de segunda ordem para os fatores primários do IDTP. Em seguida; visando a verificar a fidedignidade dos fatores formados; foram calculados os coeficientes alfa de Cronbach. Na seqüência; por meio da Teoria de Resposta ao Item (TRI); foram verificados parâmetros tanto do instrumento quanto dos respondentes. Para verificar evidências de validade baseadas nas relações com variáveis externas; realizou-se a análise de perfis por medidas repetidas; o procedimento Curva ROC; e verificou-se possíveis correlações entre os instrumentos aplicados; bem como correlações entre os diagnósticos psiquiátricos e os dados obtidos com o IDTP. A análise fatorial exploratória; por componentes principais e rotação varimax; apresentou uma estrutura primária de 12 fatores interpretáveis relacionados aos transtornos da personalidade. Os fatores encontrados referenciavam-se às seguintes escalas: Depressivo; Esquizóide; Borderline; Paranóide; Sádico; Compulsivo; Masoquista; Anti-social; Dependente; Histriônico; Negativista; Esquizotípico. Apenas as escalas Narcisista e Evitativo não foram encontradas; e; por isso; as escalas teóricas foram utilizadas. A fidedignidade dos fatores foi superior a 0;70 em quase todos os casos; com exceção a Escala Narcisista (alfa = 0;65). As análises com a Teoria de Resposta ao Item (TRI) indicaram índices de ajuste satisfatórios para todas as escalas do IDTP; bem como uma distribuição adequada dos itens no mapa de pessoas-itens. As análises de perfis por medidas repetidas corroboraram com o esperado; sendo que os pacientes psiquiátricos obtiveram escores mais altos que os participantes universitários em todas as escalas. As correlações entre as escalas do IDTP e do MCMI-III foram teoricamente coerentes para todas os casos evidenciados. Os resultados foram satisfatórios e os pesquisadores acreditam que o IDTP pode ser útil para o uso clínico; assim como em pesquisas na área de transtornos da personalidade.
     
    Baixar arquivo