Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  823.39 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Desempenho cognitivo de idosos com diabetes mellitus tipo 2 no teste wisconsin de classificação de cartas (WCST)
Autor:  
  Regina Maria Fernandes Lopes   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  PUC/RS/PSICOLOGIA
Área Conhecimento  
  PSICOLOGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  165
Resumo  
  O desenvolvimento das condições de saúde vem propiciando o aumento progressivo da longevidade e da expectativa de vida. Estudos identificam a existência de uma conexão entre Diabetes Mellitus (DM) e demência. A hiperglicemia pode ser um fator significativo para incidência de Alzheimer e uma causa secundária de demência. Outras pesquisas revelaram que as funções executivas dos idosos com DM estavam mais prejudicadas do que naqueles sem DM. A Diabetes Mellitus Tipo 2 (DM2) está associada a déficits cognitivos e funcionais, e um dos instrumentos que pode ser utilizado para avaliar funções executivas é o Teste Wisconsin de Classificação de Cartas (WCST). Com o objetivo de aprofundar esta temática foi elaborada esta dissertação, composta por capítulos: o capítulo II, de revisão teórica, e o capítulo III de um estudo empírico. Para o capítulo teórico, foi realizada uma revisão sistemática com o objetivo de verificar as características das publicações indexadas nos últimos oito anos, com ênfase nos últimos cinco anos que abordam os temas Diabetes Tipo 2, idosos, Teste Wisconsin de Classificação de Cartas, flexibilidade cognitiva, mental e do pensamento e funções executivas. Foram cruzadas as palavras-chave nas bases de dados dos indexadores e fontes Index Medline, LILACS, Psycinfo, Capes-Periódicos, Scielo, Cochrane, Proquest, Bireme, ferramentas de busca web (Yahoo, Google, Altavista). Os abstracts dos artigos foram revisados e classificados a partir das dimensões de análise: base de dados, ano de publicação, país de origem, tipo de delineamento, cruzamento de variáveis e resultados e conclusões dos estudos. O tratamento dos dados foi realizado por meio de análise das freqüências percentuais. Os resultados demonstraram que estudos envolvendo DM2, idosos e WCST são reduzidos. O capítulo III responde ao projeto de pesquisa que deu origem a esta dissertação, e objetivou avaliar a flexibilidade cognitiva em idosos com DM2 através do WCST. Participaram do estudo 254 idosos de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 60 anos, sendo 44 idosos com diagnóstico de DM2 e 210 idosos do grupo controle da população geral. O delineamento foi de um estudo quantitativo e transversal. Os instrumentos utilizados foram: Ficha de Dados Sociodemográficos, Teste Wisconsin de Classificação de Cartas (WCST), Mini Exame do Estado Mental (MEEM), Inventário de Depressão de Beck (BDI-I), Inventário de Ansiedade de Beck (BAI) e Escala de Depressão Geriátrica (GDS). Os subtestes Vocabulário, Códigos, Dígitos e Cubos da Escala Wechsler de Inteligência para Adultos III (WAIS-III). Os resultados mostraram que houve diferença significativa no desempenho de idosos com DM2, quando comparados com os idosos do grupo controle em quatro descritores do WCST. Os idosos com DM2 mostraram intensidade de sintomas depressivos e de ansiedade estatisticamente maior em relação ao grupo controle.
     
    Baixar arquivo