Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  548.51 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Análise das concentrações de poluentes atmosféricos de Porto Alegre e correlação com fatores meteorológicos
Autor:  
  Angela Radünz Lazzari   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNISC/TECNOLOGIA AMBIENTAL
Área Conhecimento  
  CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  447
Resumo  
  O ar é um meio eficiente de dispersão de poluentes atmosféricos sendo que seu comportamento depende dos movimentos atmosféricos que ocorrem na troposfera. Neste trabalho; estudou-se o comportamento das concentrações diárias de poluentes atmosféricos; na cidade de Porto Alegre -RS; analisando fatores meteorológicos que possam influenciar nas suas concentrações. Porto Alegre é uma cidade onde há um grande tráfego diário e uma concentração de indústrias que podem ser responsáveis por emissões atmosféricas. Nesta cidade; há um monitoramento constante; com base em legislação ambiental vigente; e este controle é necessário para que a população tenha qualidade de vida; sendo possível a tomada de ações imediatas. Para a análise dos dados; foram utilizadas técnicas estatísticas descritivas; correlação linear; análise de variância e regressão múltipla. Os dados foram fornecidos pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler - RS (FEPAM) e pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). A partir das análises pôdese concluir que: a) para os padrões nacionais de qualidade do ar; as concentrações de todos os poluentes analisados; medidos às 16h diariamente; não ultrapassaram os padrões primários e secundários; b) as maiores médias mensais das concentrações de ozônio (O3) foram observadas nos meses de setembro a janeiro; c) os elementos meteorológicos mais influentes; neste poluente foram; a ausência de umidade e presença de radiação solar; d) os elementos meteorológicos que influenciam nas concentrações de Partículas Inaláveis foram: a temperatura média diária até as 16 h com relação positiva; as temperaturas médias diárias do ponto de orvalho; a velocidade média diária do vento e a radiação média diária; todos até as 16 horas; com relações negativas. Concluindo-se assim; que os fatores que contribuem para maiores concentrações de partículas inaláveis (PM10) são os dias quentes; com pouco vento e nublados; e) as direções do vento que contribuem significativamente para o aumento das concentrações de partículas inaláveis são Norte e Noroeste e as que contribuem significativamente para diminuir as concentrações nos locais medidos são Leste e Sudeste.
     
    Baixar arquivo