Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  607.14 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A educação profissional integrada ao ensino médio no Paraná: avanços e desafios.
Autor:  
  Sandra Regina de Oliveira Garcia   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFPR/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  1,703
Resumo  
  Neste trabalho investiga-se a possibilidade da implantação da Educação Profissional integrada ao Ensino Médio na Rede Pública Estadual na perspectiva dos trabalhadores.O governo do Estado do Paraná; através da Secretaria de Estado da Educação; gestão 2003/2006/2010; ao assumir o governo definiu retomar a Educação Profissional na Rede Pública de Ensino. Isto significou negar o modelo que estava implantado na Rede; orientado pelo Decreto nº2.208/97; que reduziu a oferta desta modalidade de ensino nos Colégios do Paraná; assim como sua total desvinculação do Ensino Médio.A separação da Educação Profissional da Educação Básica foi um retrocesso constatado pela grande maioria dos professores; assim como; que a política implantada nos anos finais da década de 90 não atendia às necessidades de formação; tanto dos trabalhadores; como as do mundo do trabalho. A partir do entendimento de que a LDBEN nº 9.394/96 não proibia a integração; a SEED tomou a decisão de integrar num mesmo currículo a formação geral e específica; mas não com a proposta de sua universalização para todo o ensino médio da rede pública estadual. O Decreto nº 5.154/04 veio respaldar a decisão já tomada pelo governo do Paraná.Neste contexto; investigou-se; se a Educação Profissional integrada ao Ensino Médio; na Rede Pública Estadual do Paraná; pode ser uma possibilidade de concretização de uma escola para os que vivem do trabalho; superando o reducionismo da prática e fortalecendo; pela categoria contradição; o acesso rigoroso aos conhecimentos socialmente produzidos; onde o trabalho; a ciência a cultura e a tecnologia; de forma integrada; norteiem a construção curricular e metodológica. O objetivo foi de explicitar que elementos obstaculizam a concretização da integração e quais elementos possibilitam o avanço na perspectiva da educação politécnica. A hipótese inicial foi de que não basta a decisão política; sendo necessário também garantir as condições materiais e humanas para a sua concretização. Foram analisados os principais documentos da Secretaria de Estado da Educação do Paraná e do Ministério da Educação que nortearam a implantação da integração e realizadas entrevistas com diretores; professores e alunos de cinco Colégios Estaduais que ofertam cursos integrados. Constatou-se como positividade; ser possível a concretização de uma escola para os que vivem do trabalho; desde que ela tenha identidade própria; portanto não sendo apenas uma cópia das escolas que tem como principal foco a parcela da sociedade que não vive do trabalho. Para que isto ocorra; os desafios constatados referem-se a necessidade do trabalho coletivo; dos professores serem permanentes nas escolas;portanto concursados; formação continuada no chão de cada escola e o financiamento público perene.As escolas do Paraná estão num processo de construção e; se as condições humanas e de infra-estrutura continuarem sendo priorizadas podem sim se consolidar como uma educação emancipadora.O principal é que o aluno se vê como um sujeito social; e se sente portanto muito valorizado.
     
    Baixar arquivo