Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  5.06 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Avaliação da acurácia e da reprodutibilidade da técnica MODS para detecção de resistência de Mycobacterium tuberculosis a rifampicina e isoniazida e sua inter-relação com os aspectos clínicos [...]
Autor:  
  Mônica Kramer de Noronha Andrade   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRJ/CLÍNICA MÉDICA
Área Conhecimento  
  MEDICINA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  122
Resumo  
  Racional: Na avaliação da acurácia de novos testes diagnósticos para tuberculose (TB); usualmente; não é incluída a análise dos resultados discordantes. Objetivo: Avaliar a acurácia da técnica MODS para a detecção de TB resistente (TBR) a isoniazida (INH) e rifampicina (RMP) e sua relação com a apresentação clínica dos pacientes; incluindo a análise dos resultados discordantes por meio de métodos moleculares. Métodos: 318 amostras respiratórias de 142 pacientes suspeitos de TBR; atendidos numa unidade de referência do Rio de Janeiro; foram analisadas pelo MODS e Método das Proporções (MP). Resultados discordantes ocorreram em 43 (31%) pacientes; cujo material clínico foi submetido ao seqüenciamento de genes associados resistência à INH e RMP e a técnica spoligotyping. 69 amostras de 38 pacientes foram incluídas; sendo que em 23 pacientes; pelo menos 2 amostras. Resultados: Sensibilidade; especificidade e kappa foram respectivamente; para INH; de 96;5%; 79;8% e 77;5% e para RMP; de 95;7%;85;9% e 80;5%. O sequenciamento proporcionou aumento da especificidade do MODS: INH para 82;2% e; RMP para 91;1%. A heterorresistência ocorreu em 34;7%(8/23); entre eles; apenas 2 tiveram evolução clínica favorável. A infecção múltipla ocorreu em 47;8% (11/23); todos com história de tratamento anterior. As famílias mais prevalentes foram LAM (35;8%); Haarlen (20;7%) e T1 (18;1%). Conclusão: Elevada sensibilidade do teste MODS sugere sua utilidade na triagem de TBR. Foi elevada a proporção de heterorresistência e/ou infecção múltipla nas amostras discordantes. Novos estudos são necessários para avaliar o papel da heterorresistência e infecção múltipla na abordagem clínica do pacientes com TBR.
     
    Baixar arquivo