Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  15,14 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Muito além da praça José Bonifácio: as elites e os "outsiders" em Cachoeira do Sul pela voz do Jornaldo Povo, 1930-1945
Autor:  
  Jeferson Francisco Selbach   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNISINOS/HISTÓRIA
Área Conhecimento  
  HISTÓRIA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2007
Acessos:  
  779
Resumo  
  O intenso processo migratório brasileiro campo-cidade; visto nos anos 30-40; desencadeou impactos profundos no seio das relações sociais e cotidianas da cidade de Cachoeira do Sul (RS); alterando a convivência diária entre a elite moradora do espaço central que; de certa forma; cultuavam carisma grupal distintivo; cerrando fileiras e estigmatizando os não pertencentes ao grupo; os “outsiders”; migrantes “subalternos” ou todos aqueles que viviam do “lado de fora”. Nesta tese; busquei a dinâmica desta mudança no dia-a-dia da elite cachoeirense; considerando as transformações da diferenciação social praticada por esse grupo; procurei ver os estigmas que a elite lançava sobre os forasteiros; como se constituía a sociodinâmica dessa estigmatização; principalmente através das páginas do Jornal do Povo (JP); porta-voz da elite. Tentei compreender como o espaço urbano central da sede do município constituiu-se em campo de enfrentamento das forças simbólicas locais; no momento em que abrigou ou excluiu os habitantes de acordo com sua estirpe. Procurei ver a influência dos fluxos migratórios locais na organização/desorganização desse espaço urbano e de que maneira o fazer diário da elite cachoeirense foi se reafirmando/modificando em contato com os “novos bárbaros”. Utilizei; como fontes de pesquisa; documentos históricos referentes ao município; edições reunindo dados locais; documentos avulsos; parte do acervo iconográfico constituído de fotos; mapas; planos urbanos e outras imagens do município; organizados e cedidos pelo Arquivo Histórico Municipal e pelo Museu Histórico Municipal. Inclui na pesquisa dados estatísticos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Fundação de Economia e Estatística (FEE/RS); principalmente os referentes aos deslocamentos populacionais e à economia da região de Cachoeira do Sul. A fonte mais presente foram os fragmentos de notícias; reportagens; crônicas; apedidos; etc.; no período de 1929 até 1948; da imprensa local; em especial do Jornal do Povo. Para alcançar os objetivos a que me propus; estruturei este trabalho em sete capítulo; onde refleti sobre questões teóricas do tema e históricas sobre Cachoeira do Sul e sobre a imprensa; analisei as inter-relações entre aspectos econômicos; urbanos e migratórios locais; na perspectiva de dependência/autonomia com demais níveis; procurei ver a predominância de alguns aspectos econômicos sobre os fluxos migratórios e como essa corrente campo-cidade; intra-regional ou mesmo inter-estadual; influenciaram na construção; reforma; organização e desorganização do espaço urbano cachoeirense; especificamente sua zona central; e onde procurei ler as práticas cotidianas da elite cachoeirense no período em questão; em especial as rupturas delas decorrentes e que foram significativas para o dia-a-dia dos estabelecidos; em confronto com os outsiders
     
    Baixar arquivo