Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  611,32 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Velhice na cultura contemporânea
Autor:  
  Danielle De Andrade Pitanga   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNICAP/PSICOLOGIA CLÍNICA
Área Conhecimento  
  PSICOLOGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2006
Acessos:  
  1.140
Resumo  
  Esta pesquisa tem como objetivo investigar os modos específicos de envelhecimento no contexto cultural contemporâneo. Levando-se em consideração que cada sujeito envelhece de modo absolutamente singular,podemos, então, dizer que existam inúmeras formas de envelhecer e de velhices. A sociedade contemporânea do consumo, de ritmo veloz e frenético, é marcada por uma cultura da imagem. O corpo é sobrevalorizado e super exigido. O êxito e a felicidade implicam na adesão a modelos calcados no encantamento narcísico, beleza e juvenilidade. No pólo oposto, está a velhice que, inevitavelmente, costuma-se caracterizar com os atributos negativos: decrepitude, nostalgia, degeneração, declínio, obsoletismo e improdutividade.Instaura-se, pois, um cenário que nos leva a pensar na idéia de rejeição e temor ao envelhecer em virtude do mito da “eterna juventude”. As reflexões acerca do narcisismo exacerbado e do culto ao corpo, instigaram-me a pensar e a interrogar qual seria o lugar reservado para os idosos? Ao que parece, tudo leva a crer que é exatamente o “não-lugar”. A proposta é tão somente dar vez a esses velhos, ou seja, reservarlhes um “lugar” e, sobretudo, o desejo de dar-lhes “voz”, mediante a escuta atenta de seus discursos. Para isso, foram realizadas 06 entrevistas com idosos de ambos os sexos, acima dos 60 anos de idade, de classe média da zona urbana da Cidade do Recife, todos ativos, mantendo algum tipo de atividade intelectual e física.Trata-se de uma pesquisa teórico-clínica, de inspiração psicanalítica, embora também tenha destacado para a discussão, as contribuições mais recentes de autores que se dedicam à temática do processo de envelhecimento e da velhice.Tem o caráter do método clínico, isto porque os fragmentos clínicos de alguns idosos por mim atendidos em consultório e os depoimentos colhidos com os entrevistados foram submetidos à interpretação, servindo, portanto, para ilustrar a teoria.
     
    Baixar arquivo