Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  907.88 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Voltaire: ensaio sobre os costumes - a história como elemento educativo para a tolerância
Autor:  
  Djaci Pereira Leal   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UEM/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  1,290
Resumo  
  Neste trabalho, abordamos a função que Voltaire (1694-1778) atribui ao conhecimento da história em sua obra. O objetivo é analisar como ele a apresenta e como a transforma em instrumento de educação. Segundo ele, o conhecimento da história é um dos fundamentos constitutivos do processo educativo, é um elemento imprescindível para que os homens adquiram a percepção dos valores e virtudes que possibilitariam à sociedade alcançar momentos de prosperidade e de “luzes”. Ao destacar os traços essenciais da educação, Voltaire demonstra a relação dos mesmos com a situação da França no século XVIII, mas também nos induz a destacar a importância do estudo e do conhecimento da história para os nossos dias, haja vista as dificuldades enfrentadas pela sociedade brasileira no campo da educação. Abordamos Voltaire como um autor que se fez ao longo de sua vida e mostramos algumas mudanças de enfoque e algumas alterações em seu posicionamento político, sobretudo no que diz respeito à história francesa e à tolerância. Na medida em que considerava que o fanatismo e a intolerância assumiam um caráter de naturalidade e prejudicavam a sociedade francesa, propunha que a educação incidisse sobre esses dois focos. Para ele, desnaturalizar as relações homem-sociedade e homem-natureza e educar os homens para a tolerância eram condição para que sociedade retomasse de fato os caminhos da razão e das Luzes. No primeiro capítulo, demonstramos que Voltaire, hoje um autor consagrado, construiu sua vida e obra em um contexto histórico peculiar. Sua sensibilidade e sua capacidade para debater e apresentar à sociedade francesa os caminhos e as possibilidades para que ela prosperasse enquanto sociedade tornaram-no um autor clássico para o entendimento do próprio século XVIII. No segundo capítulo, abordamos sua discussão sobre a relação entre Estado e Igreja no século XVIII, questão que não é peculiar ao século XVIII, mas tem suas raízes e primeiros embates no século XIV, conforme observamos em alguns autores daquele período. Sua compreensão do que ocorreu anteriormente lhe permitiu organizar seu debate em relação às duas instituições, Estado e Igreja, as quais, apesar dos diversos arranjos sofridos nos últimos três séculos, ainda mantinham uma relação conflitiva com a sociedade. No terceiro capítulo, discutimos a educação na obra de Voltaire, mostrando como as relações entre as instituições podem apontar para o desenvolvimento ou para a "barbárie". Destacamos que, para Voltaire, a educação tem como lócus a história. Com ela, é possível aprender a praticar a tolerância, uma vez que só esta pode garantir o desenvolvimento e a prosperidade da sociedade.
     
    Baixar arquivo