Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  850.03 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A base afetivo-volitiva na constituição de educadores(as) ambientais, doutorandos(as) do programa de pós-graduação em educação ambiental da FURG
Autor:  
  Dayse Melo da Silva Pasqual   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  FURG/EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  1,866
Resumo  
  Esta dissertação tem como proposta de pesquisa o estudo da Base Afetivo-volitiva na constituição de educadores ambientais do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental, da Universidade Federal do Rio Grande. Os sujeitos investigados são seis doutorandos mestres em Educação Ambiental. A pesquisa problematiza as influências e as determinações da Base Afetivo-volitiva desses doutorandos nas suas opções pela Educação Ambiental como campo de estudo e atuação. A Base Afetivo-volitiva refere-se às emoções (afetos) e às motivações (vontades) e envolve os desejos, as necessidades e os interesses dos sujeitos. O referencial teórico-metodológico que subsidia a pesquisa é a Abordagem Sócio-histórica, especialmente as obras de Vygotsky e de Molon, e a Educação Ambiental transformadora, especialmente a obra de Loureiro. Para a coleta de dados realizou-se entrevistas semiestruturadas e estudos dos memoriais dos pré-projetos de dissertação e de tese desses educadores. O material foi analisado na perspectiva da Análise do Subtexto, metodologia de análise defendida por Vygotsky e Molon, que tem por premissa buscar os significados e os sentidos expressos na fala e na escrita, bem como no subtexto, no intertexto e no pensamento oculto. Além disso, recorreu-se a análise de Conteúdo, que enfatiza a interpretação do sentido que os indivíduos atribuem às mensagens e não apenas a semântica da língua. As categorias que emergiram foram: 1) os motivos e as emoções dos educadores ambientais em suas opções pela Educação Ambiental, 2) tornar-se educador ambiental: processos e implicações do seu fazer e 3) noções de Educação Ambiental, que envolveu também noções de educador ambiental. A pesquisa evidenciou que esses educadores são motivados, em especial, pela possibilidade de serem educadores ambientais pesquisadores docentes. Suas emoções os mobilizam e os paralisam diante da crise socioambiental. As noções acerca da Educação Ambiental e do educador ambiental apresentam características singulares e ao mesmo tempo coletivas, que demonstram a complexidade do processo de constituição do educador ambiental, da consolidação do Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental e da trajetória da Educação Ambiental na educação formal. As principais considerações indicam que não existe um modelo ou uma única noção de Educação Ambiental, nem de educador ambiental. Mas essa diversidade característica do campo não impede a explicitação e a superação de determinadas noções e posições assumidas. Um dos desafios da Educação Ambiental é a confrontação e a problematização das práticas e dos discursos e o comprometimento com a ruptura do modelo da sociedade capitalista. Pode-se concluir que a transformação atravessa a Base Afetivo-volitiva dos educadores ambientais doutorandos do Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental. Tais educadores evidenciam a busca pela transformação, que pode ser macro ou microssocial, uma mudança paradigmática ou uma mudança de comportamentos, um novo patamar societário ou uma nova prática.
     
    Baixar arquivo