Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.96 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Logística de tratamento pós-colheita do tomate: Influência da Ozonização na Criação de Valor e Vantagem Competitiva
Autor:  
  Rogerio Simao   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNIR/ADMINISTRAÇÃO
Área Conhecimento  
  ADMINISTRAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  247
Resumo  
  O tomate é uma das hortaliças mais consumidas no mundo; perdendo apenas para a batata. Alguns o chamam de fruto; outros de verdura ou legume; mas no agronegócio é tratado como hortaliça. Este trabalho tem como objetivo mostrar as vantagens competitivas e o valor criado por um processo de tratamento a ozonização no tomate de mesa durante o período logístico de armazenagem pós-colheita. Estas vantagens puderam ser verificadas através de avaliações físico-quimicas em exemplares de tomate da variedade Débora provenientes do setor chacareiro do município de Porto Velho RO e um levantamento realizado com comerciantes de tomate da região. Primeiramente; tomates foram levados a um laboratório de bioquímica; separados em dois grupos: um de teste e outro de controle. Os tomates do grupo teste foram expostos a um fluxo contínuo de ozônio a uma concentração de aproximadamente 1ppm (vol/vol); 25°C ±3°C de temperatura e 85% ±10% de umidade relativa durante 24h dentro de uma câmara de tratamento. Depois; ambos os grupos; eram armazenados no próprio laboratório durante 14 dias. Durante o período de armazenagem foram avaliadas as condições físicas e químicas como perda de massa; cor; senescência; injúria; níveis de pH e teores de vitamina C. Quando comparados com tomates do grupo controle (sem tratamento); os experimentos mostraram que tomates do grupo teste perderam apenas 2;28% de sua massa fresca contra 8;93%; os níveis de pH e vitamina C se mantiveram estáveis ao longo da armazenagem; a maturação (cor) foi retardada em dois dias e; ao final do experimento; 14% dos tomates tratados se apresentavam impróprios para o consumo enquanto que 70% dos tomates não tratados apresentavam-se impróprios para o consumo. De acordo com os resultados de laboratório; constatou-se que o tomate ozonizado poderia oferecer vantagens aos comerciantes do produto; pois as perdas foram reduzidas e os ganhos ficaram 43% superior aos tomates não tratados. Assim; tomates tratados com ozônio permaneceram bons para a comercialização por mais tempo; não oferecendo perdas na cadeia de valor.
     
    Baixar arquivo