Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.35 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Sentidos e sujeitos discursivos: filhos e netos do narcotráfico no movimento do discurso
Autor:  
  Ane Ribeiro Patti   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  USP/RP/PSICOLOGIA
Área Conhecimento  
  PSICOLOGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  289
Resumo  
  Este trabalho pretende discutir; a partir dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso de filiação francesa e da psicanálise lacaniana; como alguns efeitos de sentidos de criança são construídos; constituídos no discurso dos filhos e netos do tráfico; a partir de relatos coletados na mídia áudio-visual e em trabalhos científicos publicados no país; tais como o livro da Professora e pesquisadora da USP; Marisa Fefferman (2006); intitulado Vidas arriscadas: o cotidiano dos jovens trabalhadores do tráfico; com seu corpus coletado na cidade de São Paulo; o livro do também pesquisador Luke Dowdney (2003); intitulado Crianças do tráfico: um estudo de caso de crianças em violência armada organizada no Rio de Janeiro; o documentário de Celso Athayde e M.V. Bill (2006a) intitulado Documentário Falcão - Meninos do tráfico. Com áudio e vídeo gravados do Programa Fantástico da Rede Globo de televisão; que editou o documentário e o exibiu em 19 mar. 2006; dos mesmos autores e produtores; utilizamos também o livro que adveio do documentário; com mesmo nome: Falcão - Meninos do tráfico (2006b) e um segundo livro dos mesmos autores em parceria com o pesquisador e Professor da UERJ; Luiz Eduardo Soares (2005); intitulado Cabeça de Porco; ambos os trabalhos com corpus coletados em diversas cidades brasileiras. Nos utilizamos também de cartuns de Angeli (2005a; 2005b e 2007) que portam uma denúncia sobre o tema escolhido e de algumas reportagens da mídia eletrônica. Perguntamo-nos: como essa criança “adotada” pelo tráfico constitui-se na linguagem e de que modo ancora-se em palavras já ditas para produzir sentidos sobre si mesma? Por onde vacila o sujeito em seus movimentos discursivos; tomando emprestada a voz de outros sujeitos que já circularam em outros lugares sociais? Como; na chamada sociedade pós-industrial; são produzidos sentidos sobre o infantil? Onde é que estes sujeitos-criança se espelham e de que maneira eles se constituem na cultura atando (ou não) os fios da/na linguagem? O que a indústria cultural dita sobre esse tema; o que equivale a formular; como as condições de produção dadas pelo tráfico de drogas no espaço urbano indiciam um modo singular de inscrição histórica do sujeito na linguagem? Todas estas questões são postas aqui como observatório do nosso interesse; chão sobre o qual iremos construir a teia do discurso ao longo desse trabalho; sem a pretensão de estabilizar sentidos na lógica do que “é” ser criança hoje; mas na trilha de analisar o discurso; a fala em curso do(s) sujeito(s) cuja voz faz falar um modo de estar incluído na infância e no tráfico. Portanto; há neste trabalho a tentativa de dar um norte para essas questões; sinalizando não um caminho em linha reta; mas a entrada em um labirinto; que se chama infância e que não cessa de reclamar sentidos; inscrever dizeres e afetar o adulto. Palavras-Chave: Análise do Discurso. Psicanálise. Infância. Criança. Tráfico de Drogas. Mídia.
     
    Baixar arquivo