Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  736.87 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Poluição por resíduos sólidos na baía de Guanabara: um estudo sobre o aterro metropolitano de jardim Gramacho
Autor:  
  Maurício Krumbiegel   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  ENCE/ESTUDOS POPULACIONAIS E PESQUISAS SOCIAIS
Área Conhecimento  
  ESTATÍSTICA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  255
Resumo  
  O grave estágio atual de degradação ambiental das águas da Baía de Guanabara e de seus rios afluentes, principalmente, pelos resíduos sólidos (lixo) é sinal de que algo não anda bem na região da Bacia Hidrográfica da Guanabara. O lixo é a mais visível forma de poluição em um corpo d'água. A sujeira acumulada nas margens da baía e os detritos que bóiam por todo o seu espelho d'água poluem e causam prejuízos enormes: à saúde, ao banho de mar, às populações que vivem da pesca, ao turismo e a beleza estética da Baía de Guanabara, o cartão postal do Brasil. Segundo o IBGE (2000) com relação aos resíduos sólidos urbanos, são coletadas 17.447,2 ton./dia, no Estado do Rio de Janeiro, dos quais, aproximadamente, 78% (13.565 ton./dia) são provenientes da Região Metropolitana (RMRJ) e destes, 62% (8.343 ton./dia) são oriundos da cidade do Rio de Janeiro. Identificou-se que o Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho, conhecido popularmente por “Lixão de Caxias”, recebe aproximadamente 8.000 ton./dia de lixo. Outro dado importante é que a capacidade desse aterro já não suporta mais o peso do lixo, apresentando problemas de fissuras, trincaduras e possíveis deslocamentos horizontais que podem verter para a Baía de Guanabara causando grandes impactos ambientais e risco à saúde da população local. Pretende-se com essa pesquisa, através de técnicas e insumos cartográficos, avaliar esse panorama e analisar criticamente as medidas adotadas pelo Programa de Despoluição da Baía de Guanabara - PDBG, que é o plano de ações do governo do Estado do Rio de Janeiro, no gerenciamento e na solução desse problema e das questões ambientais.
     
    Baixar arquivo