Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  387.54 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Alimentos convencionais versus naturais para cães adultos
Autor:  
  Janine França   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFLA/ZOOTECNIA
Área Conhecimento  
  ZOOTECNIA
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  2,959
Resumo  
  Com o objetivo de avaliar a digestibilidade e os efeitos de alimentos comerciais convencionais e naturais para cães adultos, foi realizado um experimento no Centro de Estudos em Animais de Companhia (CENAC), no Departamento de zootecnia da Universidade Federal de Lavras. Foram utilizados 24 cães adultos, com peso médio de 13,09&#61617,(1,81) kg, em dois períodos, distribuídos em DBC, com seis tratamentos e oito repetições. Os tratamentos foram constituídos de T1: ração comercial seca, T2: ração comercial úmida, T3: mix de carne bovina cru, T4: mix de frango cru, T5: mix carne bovina cru + aquecimento térmico, T6: mix frango cru + aquecimento térmico. Foram avaliados os coeficientes de digestibilidade aparente (%) da matéria seca (CDAMS), da proteína bruta (CDAPB), do extrato etéreo (CDAEE), da energia bruta (CDAEB), da energia digestível (ED) e da energia metabolizável (EM) em kcal/kg, escore fecal, pH urinário e teor de nitrogênio amoniacal das fezes. Para as concentrações plasmáticas de ureia, creatinina, triglicerídeos, colesterol, VLDL, HDL e LDL em mg/dL, nitrogênio amoniacal das fezes (%), foram utilizadas quatro repetições/tratamento, assim como para Salmonella sp., nas seis dietas, amostras de alimentos dos comedouros e de fezes de todos os animais. Os CDAMS foram maiores para T2, T4, T5 e T6, com valores de 87,33%, 85,76%, 86,17% e 87,07%, respectivamente (P<0,05). Para o CDAPB, os alimentos naturais T3, T4, T5 e T6 apresentaram os maiores valores de 90,39%, 92,98%, 93,79%, 93,90% e 93,83%, respectivamente. Para o CDAEE, os maiores valores encontrados foram de 95,12%, 96,00% e 96,16% e do CDAEB de 93,53%, 93,13% e 93,72%, respectivamente para T4, T5 e T6 (P<0.05). O T1 apresentou os maiores valores de triglicerídeos e VLDL (P<0.05). Nenhum dos alimentos testados atendeu a todos os limites satisfatórios para os contaminantes biológicos. Para Salmonella sp., somente T1 não apresentou contaminação, tanto para a dieta como para as amostras dos comedouros e, para as fezes, todos os animais apresentaram positividade. Os animais dos T1, T3 e T5 apresentaram escore fecal médio de 3 (P<0,05). O T2 apresentou o menor pH urinário, e maior valor para o teor de nitrogênio amoniacal nas fezes (P<0,05). Os alimentos naturais são fontes de alto valor nutricional para cães adultos, porém, medidas de segurança alimentar devem ser tomadas para a ocorrência de Salmonella sp .
     
    Baixar arquivo