Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  4.85 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A acessibilidade pelas abordagens da arquitetura e da terapia ocupacional: sombreamento versus cooperação inter-disciplinar para a inclusão social
Autor:  
  Cristiane Luisa Renger   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFMG/ARQUITETURA
Área Conhecimento  
  ARQUITETURA E URBANISMO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  1,537
Resumo  
  Este trabalho procura analisar competências para a atuação de profissionais de Arquitetura e Terapia Ocupacional. A comparação de conteúdos nos cursos de formação profissional, e a exploração de instrumentos de avaliação de desempenho pessoa-ambiente, criados em cada um desses campos profissionais, pretende evidenciar que a ênfase de abordagem profissional ocorre em sentidos opostos. Por um lado, o Arquiteto dá enfoque principal às estruturas ambientais e, com isso, busca alcançar a satisfação do usuário, por outro, o Terapeuta Ocupacional dá enfoque às habilidades humanas e, com isso, estuda adaptações ambientais e ajustes comportamentais para ampliem possivelmente este desempenho funcional. Há, portanto, grande potencial de contribuição dessas duas profissões para o conhecimento sobre a relação pessoa-ambiente. No entanto, as lacunas no aprendizado têm gerado distorções interdisciplinares, com o conseqüente sombreamento de atribuições profissionais. Por um lado, terapeutas ocupacionais se dedicam a explorar as normas técnicas da acessibilidade, enquanto que, por outro, os arquitetos desenvolvem projetos sem respeito à diversidade das habilidades funcionais dos usuários. A pesquisa buscou evidenciar esse processo por meio de um estudo de caso. Conclui-se, a partir dos resultados, que arquitetos e terapeutas ocupacionais participantes apresentaram abordagens similares, com sobreposição de atuação no que se refere às situações ambientais. A importância das contribuições deste estudo predispõe reflexões sobre o desenvolvimento e aplicação de instrumentos técnicos de cada profissão que estruturem as atuações profissionais e que valorizem a cooperação, o intercâmbio de informações e que permita a formação de equipes multi-disciplinares para aplicações inclusivas do desenho universal.
     
    Baixar arquivo