Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  11.92 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Taxonomia de fanniidae (diptera) da Colômbia
Autor:  
  Diana Lucia Grisales Ochoa   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFPR/CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (ENTOMOLOGIA)
Área Conhecimento  
  BIOLOGIA GERAL
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  164
Resumo  
  Fanniidae Schnabl é um grupo monofilético e basal dentro dos Calyptratae, com aproximadamente 300 espécies descritas, encontradas em todas as regiões biogeográficas. As regiões Paleártica e Neártica, com 109 e 108 espécies respectivamente, estão mais bem representadas do que as regiões Neotropical (79 espécies), Oriental (29), Australiana (14) e Afrotropical (1). Atualmente são reconhecidos quatro gêneros: Fannia Robineau–Desvoidy, 1830; Piezura Rondani, 1866; Euryomma Stein, 1899 e Australofannia Pont, 1977. Na região Neotropical existem 84 espécies descritas em dois gêneros, Fannia com 73 espécies e Euryomma com 11 espécies. Na Colômbia o grupo era praticamente desconhecido. O único gênero conhecido para o país era Fannia e as espécies F. canicularis (Linnaeus, 1761); F. dodgei Seago, 1954; F. flavicincta (Stein, 1904); F. hirtifemur (Stein, 1904); F. obscurinervis Stein, 1900 e F. penicillaris Stein, 1900. Enquanto que Euryomma, gênero com distribuição Neotropical não tinha registro. Até agora não houve estudos taxonômicos detalhados da biodiversidade taxonômica desta família para Colômbia. Com o objetivo de descrever essa biodiversidade e a importância do seu conhecimento para o país e para região Neotropical, esta dissertação foi dividida em três capítulos. O capítulo I tem como assunto o registro de Euryomma para Colômbia e a descrição de três novas espécies. Estas foram encontradas nas coleções colombianas Colección Entomológica Universidad de Antioquia (CEUA) e Museo Entomológico Francisco Luis Gallego (MEFLG). Euryomma sp. nov. 1 (Medellín, Antioquia), Euryomma sp. nov. 2 (Copacabana, Antioquia) e Euryomma sp. nov. 3 (Medellín, Antioquia), parecem estar próximas de E. carioca Albuquerque, 1956 descrita para o Brasil, e E. longicorne Stein, 1911 e E. rufifrons Stein, 1911 descritas para o Chile. Estas espécies possuem hábitos sinantrópicos e estão associadas a matéria orgânica em decomposição. Foi confeccionada uma chave de identificação para os gêneros de Fanniidae da Colômbia e para as novas espécies de Euryomma. São apresentadas fotografias, desenhos das terminálias masculina e feminina e mapas de distribuição das espécies. O capítulo II tem como objetivo descrever e redescrever a diversidade taxonômica de Fannia para o país. Foram examinadas cinco coleções entomológicas da Colômbia e encontradas: 13 espécies novas, sendo a maioria de ecossistemas de floresta preservada e de alta montanha; três novos registros para o país das espécies F. dodgei Seago, 1954, F. grandis Malloch, 1912 e F. pusio (Wiedemann, 1830); e o novo registro de grupos de espécies de Fannia com distribuição Neártica e Paleártica (grupos hirticeps e benjamini), Neotropical em América Central (grupo grandis) e no sul da América do sul (grupo anthracina). Foram feitas descrições das espécies novas, diagnoses das espécies conhecidas para o país e dos novos registros, e comentários da distribuição e biologia. Foi confeccionada uma chave de identificação de machos da Colômbia. São apresentadas fotografias, desenhos das terminálias masculina e feminina e mapas de distribuição das espécies. No capítulo III são apresentadas considerações finais em relação às espécies e grupos de espécies encontrados na Colômbia, sua biologia e a importância como avanço no conhecimento da biodiversidade no país e, por conseguinte, da região Neotropical. Assim mesmo, alguns aspectos relacionados à biogeografia, distribuição e biodiversidade da família na região Neotropical, que poderiam chegar serem corroborados em estudos filogenéticos e biogeográficos posteriores, ajudando no entendimento da possível evolução e distribuição da família nas Américas.
     
    Baixar arquivo