Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  771,30 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Comunidade disciplinar de ensino de química na produção de políticas curriculares para o ensino médio no Brasil
Autor:  
  Rozana Gomes de Abreu   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UERJ/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  1.210
Resumo  
  Esta pesquisa focaliza o estudo das políticas curriculares para o nível médio de ensino; no que diz respeito aos sentidos produzidos pela comunidade disciplinar de ensino de Química para as políticas desenvolvidas no contexto da reforma da educação básica no Brasil. Nessa investigação; defendo a utilização da abordagem do ciclo de políticas proposto por Stephen Ball; por permitir analisar a produção dos sentidos em jogo no processo político; bem como a ação epistêmica dos participantes desse processo. Considero que a comunidade disciplinar de ensino de Química configura-se como uma comunidade epistêmica local; pois suas principais lideranças participam da negociação dos sentidos que influenciam as políticas; tentando estabelecer assim uma relação hegemônica. Defendo ainda; com base em Ernesto Laclau; que a investigação das políticas de currículo deve considerar as articulações contingentes e provisórias que se formam em torno dos conflitos; das lutas e das demandas dos sujeitos que participam do ciclo de políticas. Para a pesquisa; foram selecionados textos curriculares não-oficiais produzidos pelas principais lideranças da comunidade disciplinar de ensino de Química em diferentes contextos da área de ensino da disciplina - eventos; veículos de divulgação; livros didáticos; entrevistas -; além dos textos curriculares da reforma do ensino médio elaborados pelo MEC. A análise desses textos aponta para a questão de que os discursos curriculares da comunidade; na tentativa de se tornarem hegemônicos; privilegiam os discursos sobre a contextualização; a interdisciplinaridade; a formação para a cidadania; o conhecimento químico escolar e a relação entre pesquisa e prática docente; por estes ampliarem os sentidos defendidos pela comunidade. Na negociação dos sentidos desses discursos formam-se ambivalências; resultantes das recontextualizações por hibridismos que acontecem na complexidade do processo político; que colaboram para a busca da hegemonia pretendida nas articulações da comunidade.
     
    Baixar arquivo