Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  8.28 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  BEDZÉ WÒ HIBATÈDÈ - conhecimentos ressonantes: diálogos entre educação transdisciplinar e a práxis indígena
Autor:  
  Hildonice De Souza Batista   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFBA/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2008
Acessos:  
  230
Resumo  
  Esse estudo aborda a práxis pedagógica indígena Kiriri e pretende dialogar com a práxis pedagógica de professores não-indígenas com o intuito de inserir novos pensares sobre a ação educativa no espaço escolar numa perspectiva transdisciplinar. Adotou-se a abordagem fenomenológica; a partir de um estudo de caso na reserva indígena Kiriri em Saco dos Morcegos; Mirandela/Bahia. Optou-se por um recorte cronotópico que abrange o período de 2001 a 2005 para que se pudessem evidenciar modificações na práxis pedagógica indígena Kiriri que ressoassem nas vidas das crianças e dos jovens desta localidade; bem como analisar as possíveis ações educacionais que se aproximam dos princípios da Transdisciplinaridade; essas modificações/ações são compreendidas como atitudes pontuais educacionais. Utilizaram-se técnicas de entrevista; de observação direta; questionários; acervo fotográfico; acervo documental; dentre outras; tendo o objetivo de aproximar essas atitudes pontuais educacionais a marcos teóricos como a crítica cultural e a transdisciplinaridade. A adoção das abordagens quantitativa e qualitativa viabilizou a tentativa de entrelaçamento de campos transgressores no pensar e no agir; principalmente; no campo epistemológico denominados de Transdisciplinaridade e Estudos de Cultura; aliados à cultura/práxis indígena Kiriri. Vale ressaltar que apesar de todas as dificuldades; principalmente; no que se refere à questão da luta pela terra e pelo direito de vida; a práxis pedagógica realizada na Escola Kiriri busca caminhos diferenciados para conviver com o instituído; valorando a tradição oral; o aprendizado de vocábulos da língua materna - Kipeá; os rituais sagrados e a sua própria cultura. Portanto; houve a pretensão de se construir uma linha de conexão entre esses saberes de modo a se pensar outras formas de sustentabilidade; outros valores para o modelo escolar da população não-indígena; almejando criar um espaço dialógico entre essas culturas; bem como a possibilidade de realização de processos de aprendizagens capazes de aceitar a diferença/diversidade numa perspectiva ontológica; dialogando; portanto; com outras formas de conhecimento.
     
    Baixar arquivo