Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  13.83 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Fazenda do colégio: familia, fortuna e escravismo no vale do Macacu séculos XVIII e XIX
Autor:  
  Vinícius Maia Cardoso   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNIVERSO/HISTÓRIA
Área Conhecimento  
  HISTÓRIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  392
Resumo  
  A pesquisa analisa a organização socioeconômica e as relações escravistas do Vale do Macacu nos séculos XVIII e XIX; através do estudo do “complexo agrário” do clã Araújo - desde sua formação até sua derrocada durante a Crise do Souto; em 1864 - localizado na freguesia da Santíssima Trindade; município de Santo Antônio de Sá de Macacu (Cachoeiras de Macacu); Província do Rio de Janeiro. Complexo este formado por cinco fazendas – Colégio; Jaguary; Papucaia; Ribeira e Rio das Pedras – a partir repartição da Fazenda do Colégio; herdada do patriarca Henrique José de Araújo (1769-1840); comerciante e fazendeiro português radicado na cidade do Rio de Janeiro. Discute também aspectos relacionados à economia da região objeto da pesquisa; voltada em especial para a produção de gêneros para mercado interno e abastecimento. No tocante às relações escravistas presentes nessa região; as mesmas foram analisadas através de 2.563 registros de batismo de escravos adultos e filhos de escravas da região; no período de 1819 a 1873; com enfoque na composição da escravaria; família escrava; apadrinhamentos e também discute a formação de comunidades escravas na região; em especial a da Fazenda do Colégio; integrada por cerca de 300 cativos. Abrangendo a análise do Vale do Macacu a partir da sua ocupação; já no século XVI; vista como solução de continuidade na obtenção de terras e produção agrícola para exportação e abastecimento; até a segunda metade do século XIX; a pesquisa visou contribuir para o conjunto de trabalhos acerca da história regional de Cachoeiras de Macacu e do Estado do Rio de Janeiro.
     
    Baixar arquivo