Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.58 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A educação pela sensibilidade: uma análise iconografica do pecado em Hieronymus Bosch
Autor:  
  Meire Aparecida Lóde Nunes   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UEM/EDUCAÇÃO
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  617
Resumo  
  O estudo proposto caracteriza-se pela análise de algumas obras artísticas produzidas na Baixa Idade Média e tem como objetivo refletir acerca da educação nesse período. Tal proposta se justifica porque, a nosso ver, o estudo da arte fornece informações imprescindíveis à Educação e à História da Educação, tornando possível a compreensão das ações humanas e da organização social em diferentes períodos históricos. Nesse caso, entende-se educação como um processo que visa a preparação do homem para viver em sociedade e requisita, assim, um controle dos instintos humanos. Em nossas reflexões, consideramos que, pela sensibilidade que desperta naquele que a aprecia, a arte pode tornar os atos humanos mais comedidos. É o que Hegel (1770-1831) evidencia ao discutir o fim da arte. As obras analisadas na pesquisa são: Os Sete Pecados Mortais e os Quatro Novíssimos do Homem, A Nave dos Loucos, e Alegoria da Gula e da Luxúria, todas do artista flamengo Hieronymus Bosch (1450-1516). Por meio da análise iconográfica direcionada pelo pensamento de Panofsky (1892-1968) e pelo suporte teórico e metodológico da Historia Social e da História das Mentalidades, procuramos verificar como Bosch expressava o pecado em suas obras e, por extensão, compreender como a mentalidade do homem da Baixa Idade Média considerava os vícios humanos. Para a compreensão do conceito do pecado nesse período, fundamentamo-nos em textos de Tomás de Aquino (1395 - 1455). Fazendo uma analogia entre suas interpretações e as representações de Bosch, procuramos verificar como esses homens, de tempos diferentes, pensavam sobre a mesma temática. A análise nos leva a entender que o homem do final da Idade Média tinha uma conduta influenciada pelo caráter moralizadordos pecados, embora os atos pecaminosos fossem praticados por pessoas pertencentes a vários segmentos sociais, inclusive a Igreja. Diante disso, podemos identificar nas obras de Bosch um conteúdo educativo fundado na razão, a qual é fundamental para a formação do homem como sujeito social.
     
    Baixar arquivo