Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  11,89 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Avaliação de turfa em barreira reativa permeável para a remediação de meios porosos contaminados com naftaleno e TEX
Autor:  
  Catarina Luíza Mariani Pereira   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFES/ENGENHARIA AMBIENTAL
Área Conhecimento  
  ENGENHARIAS
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  350
Resumo  
  O presente trabalho estudou a possibilidade do uso de barreira reativa permeável (BRP) composta de turfa e areia para a remediação de hidrocarbonetos em aqüíferos utilizando quatro protótipos de aqüíferos em modelos reduzidos construídos em acrílico. Os hidrocarbonetos utilizados foram Naftaleno, Tolueno, Etilbenzeno e Xileno. Além disso, também foi realizado um ensaio com um traçador (rodamina B) com objetivo de verificar a eficiência da BRP na retenção de contaminantes orgânicos. Foram testados três casos para o uso de BRP, no caso I foi construída uma barreira reativa permeável no aqüífero composta de areia e turfa. No caso II, além da BRP, houve bioestimulação do crescimento de microorganismos do solo. E no caso III além, da BRP e da bioestimulação, foram inoculados na barreira reativa bactérias com capacidade de remediação de naftaleno, diesel e gasolina. Como controle, foi utilizado um protótipo contendo somente areia, sem BRP. Os efeitos dos diferentes tratamentos podem ser melhor observados para o naftaleno. Para o tolueno, etilbenzeno e xileno a adsorção foi o efeito mais importante na retenção do contaminante no protótipo em todos os casos com BRP. Foi constatado que houve a biodegradação no interior dos protótipos. Os experimentos tanto com contaminantes como com traçador evidenciam a capacidade de adsorção de uma BRP feita com areia e turfa e sua potencial aplicação em casos reais de campo. Destacando que barreiras de contenção da pluma de contaminação podem ser construídas usando materiais de baixo custo e que podem ser encontrados em regiões alagadas.
     
    Baixar arquivo