Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.37 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Empresas que aprendem: Um estudo comparativo à luz de Freire e Senge na percepção dos alunos de administração da faculdade Avantis
Autor:  
  André Gobbo   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Educação
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [ea] Edição do Autor
Instituição:/Programa  
  Universidad Del Cono Sur de Las Américas
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Doutorado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  328
Resumo  
  Na Era do Conhecimento, surgem as organizações de aprendizagem, as quais exigem que os líderes das organizações empresariais percebam seus liderados como potenciais aprendizes. Ao entender e defender a ideia de que as organizações empresariais devem ser vistas como espaços privilegiados para a aprendizagem, esta pesquisa compara as visões e posicionamentos que os alunos ingressantes e concluintes do Curso de Administração da Faculdade Avantis, situada no município de Balneário Camboriú, Estado de Santa Catarina (BR), têm frente às exigências da gestão do conhecimento, bem como busca identificar a situação atual das organizações onde os mesmos atuam em assuntos relacionados à aprendizagem organizacional. Além disso, apresentam-se algumas contribuições do ideário freireano para o fortalecimento das organizações de aprendizagem, relacionando-as com as ideias apresentadas por Peter Senge, expressas em ―A Quinta Disciplina‖ (2009). Nesta ―conversa de grandes‖ apresentam-se algumas contribuições para que os líderes empresariais possam promover a aprendizagem organizacional em favor da autonomia e do desenvolvimento dos seus educandos. Apesar da existência de significativa literatura sobre a temática em estudo, são contemplados os pressupostos teóricos de autores reconhecidos no campo do saber educacional, administrativo e organizacional, sobretudo nas obras assinadas por Freire e Senge, já que entendê-los e aproximá-los é um dos objetivos que impulsionam esta pesquisa. O enfoque desta investigação foi quali-quantitativo e se buscou referenciais teóricos na literatura sobre o tema e utilizou-se de um questionário construído no modelo de Escala Likert o qual foi aplicado aos acadêmicos ingressantes e concluintes. Na interpretação dos resultados desta tese o pesquisador utilizou-se dos resultados obtidos com os ingressantes para compará-los com os resultados dos acadêmicos concluintes, destacando-se pontos em comum e pontos de discordância. Os resultados finais da pesquisa são apresentados em Gráficos, a partir dos quais se fez uma leitura quantitativa e qualitativa. Os resultados obtidos evidenciaram o processo de transição que ainda se vive onde pensamentos e atitudes da Era Industrial sobrevivem e se misturam com os exigidos por esta nova Era. Por fim apresentam- se as conclusões deste estudo onde fica evidente que, em parte significativa das organizações, ainda predomina o modelo de gestão burocrático, o qual tem uma visão fragmentada do ser humano. O trabalho encerra com um diálogo entre os dois autores destacados por esta pesquisa.
     
    Baixar arquivo