Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.81 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Eletroejaculação em caititus (tayassu tajacu):características seminais pré e pós-refrigeração
Autor:  
  Priscila Reis Kahwage   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFPA/CIÊNCIA ANIMAL
Área Conhecimento  
  ZOOTECNIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2009
Acessos:  
  60
Resumo  
  Para implementar um sistema de criação de Tayassu tajacu é necessário estudar sua biologia reprodutiva, principalmente os aspectos referentes aos machos. O objetivo do trabalho foi testar a eficiência da eletroejaculação para obtenção de sêmen, descrever o perfil seminal e testar a capacidade de conservação de gametas masculinos sob refrigeração. Foram selecionados 11 machos adultos (76,8±37,8 meses, 19,5±2,7 kg) para a avaliação da biometria testicular, e 8 deles foram submetidos à eletroejaculação (45±13 estímulos, 12 volts, 3 segundos/pulso e descanso de 3 segundos). As amostras colhidas foram avaliadas quanto às características físicas (aspecto, cor, volume total, concentração, pH, motilidade e vigor espermáticos) e características morfológicas (viabilidade e defeitos espermáticos). As amostras foram divididas e diluídas em BTS (diluidor de curta duração) ou X-Cell® (longa duração) e mantidas sob refrigeração a 17º C. As amostras foram avaliadas imediatamente após a diluição (T0), após 24 horas (T24) e 48 horas (T48) de resfriamento. Os animais apresentaram testículo esquerdo com comprimento de 3,8±0,4 cm, largura de 2,6±0,3 cm e consistência de 2,3±0,2, e testículo direito com 3,8±0,5 cm de comprimento, 2,7±0,3 cm de largura e 2,3±0,2 de consistência. A taxa de sucesso obtida com a eletroejaculação foi de 75,21%. O sêmen apresentou: volume 0,81±0,86 mL, concentração 137,44±153 x 106 sptz/mL, pH 7,92±0,73, motilidade 52,66±28,79%, vigor 2,2±0,8, viabilidade 55,84±28,55%, defeitos maiores 22,87±12,93%, defeitos menores 9,11±5,88% e defeitos totais 31,52±13,81%. Não houve variações expressivas na produção e qualidade seminal ao longo dos meses do ano. Não houve diferença significativa entre os diluidores testados, com relação à capacidade de manutenção dos parâmetros seminais durante o período de estocagem, havendo influência significativa do tempo de armazenamento (P<0,05). Nos tempos T0, T24 e T48, o sêmen diluído em BTS apresentou motilidade espermática média de 56,1±17,6 %, 17,9±23,3 % e 7,7 ±19,6%, a viabilidade espermática média de 60,2±17,2%, 27,9±23,8% e 11,7±20,2%, e defeitos totais médios de 28,1±10,8%, 37,5±12,1% e 41,28±11,4%., respectivamente. Amostras seminais diluídas em X-Cell® apresentaram motilidade média de 54,2±22,1%, 27,0±28,0% e 14,0±24,2%, viabilidade média de 57,8±21,7%, 33,0±26,9% e 19,9±25,6% e defeitos totais médios de 30,8±11,2%, 41,2±13,4% e 44,2±14,4% nos três tempos avaliados. Assim, a eletroejaculação é eficiente e segura para a obtenção de ejaculados de caititus, o sêmen produzido possui potencial para estocagem, e pode ser conservado sob 17ºC até 24 horas.
     
    Baixar arquivo