Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  497.28 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A CONCEPÇÃO DE CULTURA EM BRUNER E VIGOTSKI: IMPLICAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO ESCOLAR
Autor:  
  Vanessa Gertrudes Rabatini   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNESP/ARAR/EDUCAÇÃO ESCOLAR
Área Conhecimento  
  EDUCAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  744
Resumo  
  A presente pesquisa de mestrado teve como objetivo analisar a concepção de cultura em obras selecionadas do psicólogo norte-americano Jerome Bruner e do psicólogo soviético Lev Semenovich Vigotski e as suas implicações para a Educação Escolar. Este trabalho é fruto de uma pesquisa de iniciação científica; que analisou as concepções de escola em autores contemporâneos sob a perspectiva da Teoria da Atividade; comparando-as com as ideias pedagógicas contidas nos trabalhos de Vigotski; Leontiev e Luria. No decorrer dessa pesquisa constatou-se que muitas dessas concepções sobre a escola eram perpassadas pela questão da cultura. Portanto; com o objetivo de um estudo aprofundado; selecionamos autores como Bruner e Vigotski porque ambos desenvolveram uma concepção de cultura que traz várias implicações para a Educação Escolar na atualidade. Para analisar a cultura nas obras de Bruner e Vigotski; procedemos inicialmente a uma primeira leitura exploratória por meio da qual apreendemos de suas obras núcleos teóricos conceituais; sejam eles: universo simbólico; narrativa e comunidade cultural; para o primeiro autor; e natureza social do psiquismo; signos ou instrumentos culturais e função psíquica superior; para o segundo autor. Feito isso; realizamos uma análise comparativa dessa concepção e constatamos que Bruner transita em um veio fenomenológico hermenêutico; afirmando premissas da pós-modernidade e do multiculturalismo; enquanto Vigotski em uma vertente materialista histórico-dialética sustenta a ontologia do ser ligado à sua historicidade e às relações sociais. No que tange a análise dialética singular-particular-universal; concluímos que a concepção de cultura entre os dois autores se distancia. Para Bruner essa concepção é focada na particularidade aparente; já Vigotski; entende que a prática humana; na qual se inclui a produção da cultura; encerra sempre a relação entre o singular-particular-universal; por dotar-se de uma correspondência essencialmente histórica e universal.
     
    Baixar arquivo