Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  762.38 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Vestígios do ser: uma análise comparativa entre "Água viva" e "Pedra do sono"
Autor:  
  Marluci Mittmann   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFSC/LITERATURA
Área Conhecimento  
  LETRAS
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  1,315
Resumo  
  Este trabalho apresenta uma leitura comparativa entre o romance Água viva, de Clarice Lispector, com alguns poemas de Pedra do sono, de João Cabral de Melo Neto, sob a perspectiva da existência pensada por alguns leitores de Martín Heidegger. Com base em Água viva e Pedra do sono, refletimos a problemática do Ser ( Dasein), abordada pelo filósofo e repensada pelos escritores literários. Pensamos na existência do Dasein, a partir do que restou do Ser, presente nos textos literários, e na maneira como o "Ser" se dá entre os seres na obras citadas. Portanto, lemos esses textos, amparando-nos na abordagem do Ser feita por Heidegger, e toda a discussão apresentada pelo filósofo e leitores de sua teoria, para compreender a escrita de Clarice Lspector e de João Cabral de Melo Neto. Convém lembrar que os textos literários desses autores não obedecem às leis do gênero a que remetem, e foram escritos em um período em que ocorreram profundas tranformações na sociedade, por isso, são carregados de marcas históricas sociais. Buscamos, por intermédio desses textos literários, compreender a relação entre eles e a modernidade. Lispector e Cabral, dois autores distintos em bibliografia, inauguram linguagens: ele, um artesão da palavra e ela, uma autora que trabalha as possibilidades da linguagem, e dessa forma, aproximam-nos das coisas e do mundo. Em virtude disso, buscamos analisar as obras, a fim de, posteriormente, compará-las entre si, e com a teoria, levando em consideração o contexto e a história. Percebemos deste modo que Lispector e Cabral empregam as palavras não com o seu sentido original, mas tentam dar essas palavras um sentido diferente, recriado imagensque nos levam a vivenciar outras sensações, estimuladas por essa linguagem com que nos deparamos.
     
    Baixar arquivo