Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.49 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Gestão de marca sustentável para produtos florestais não-madeiráveis no Município de Porto Velho
Autor:  
  Cristiano Borges Rodrigues   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNIR/ADMINISTRAÇÃO
Área Conhecimento  
  ADMINISTRAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  157
Resumo  
  Com o objetivo de desenvolver um modelo de gestão de marca sustentável para produtos florestais não-madeiráveis, buscou-se a aplicabilidade do modelo no produto florestal não-madeirável açaí do município de Porto Velho (Rondônia, Brasil). Neste trabalho se faz uma discussão teórica sobre a cadeia dos produtos florestais não-madeiráveis e a relação entre sustentabilidade e processo econômico. Desta relação se constata a importância da certificação pela linha da qualidade por meio da ISO 14024. Em seguida, apresenta-se o estado da arte das marcas e uma discussão entre modelos de gestão de marca para se traçar um calcado na certificação da ISO 14024. Após leitura flutuante nos dados coletados por formulário, é feita uma complementação com entrevistas nos órgãos governamentais, nãogovernamentais, indústria, consumidores e varejistas para, por meio de análise de conteúdo, verificar a grande disponibilidade dos membros da cadeia em participar de um conselho decisor, bem como a percepção de importância da certificação ambiental. Constata-se, ainda, uma grande aceitação da marca sustentável por parte da indústria e varejo, em detrimento de uma interferência média da marca sustentável no processo de compra de açaí pelos consumidores entrevistados de Porto Velho.
     
    Baixar arquivo