Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.33 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Sustentabilidade econômica da produção extrativa não madeirável(pfnm) na reserva do lago de Cuniã (RO)
Autor:  
  Ozanam Thales Silva Teixeira   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNIR/ADMINISTRAÇÃO
Área Conhecimento  
  ADMINISTRAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  154
Resumo  
  O presente estudo trata das questões relacionadas aos Produtos Florestais Não-Madeiráveis (PFNM) em Reservas Extrativistas (RESEX). O objetivo é analisar a sustentabilidade econômica da produção da RESEX do Lago de Cuniã (RO). O referencial teórico-empírico apresenta uma discussão sobre a evolução do conceito de desenvolvimento, sustentabilidade fraca e forte, economia ambiental, economia ecológica e os PFNMs seu conceito, utilização e comercialização. Discute-se o conceito de extrativismo e suas tendências, a produção extrativista e sua sustentabilidade em RESEXs, a conceituação de Produtos Florestais Não- Madeiráveis – PFNMs, e seu potencial de geração de renda para as populações. A pesquisa se caracteriza como quali-quantitativa. Foram realizadas entrevistas e aplicados questionários em 41 famílias das 77 famílias do núcleo. Os PFNMs atualmente explorados são o açaí (Euterpe oleracea) e a castanha-do-pará (Bertholletia excelsa). O estudo indicou que a produção dos PFNMs praticada na RESEX gera uma renda familiar média de R$ 141,13, ao mês, estando muito abaixo do valor do salário mínimo do ano de 2010. O potencial de aumento da produção de açaí é da ordem 181.880 litros por ano e da castanha-do-pará de até 114.800 litros por ano, com isto, a renda familiar média passaria dos atuais R$ 1.693,56, para um valor potencial de R$ 2.522, gerando um acréscimo de R$ 828,00 por família, o que representa um aumento percentual de 67,15% por família. Os principais obstáculos para o aumento da produção envolvem a falta de capital, transporte, mão-de-obra e organização dos moradores. A exploração do óleo da copaíba (Copaifera langsdorffii) conseguiria uma renda de R$ 50.000, com a possibilidade de geração de uma renda média potencial de R$ 1.219,51 por família. Assim, constatou-se que o extrativismo pode ser incrementado na RESEX estudada visando o aumento da renda através do modelo do Neoextrativismo. Para tanto, a elaboração de um Plano de Manejo para a RESEX do Lago de Cuniã se torna ferramenta indispensável e urgente. Finalizando, sugere-se maior presença do Estado através de programas e projetos capazes de melhorar as demandas sociais, bem como contribuir para o desenvolvimento e consolidação das atividades extrativistas e de outras, num contexto de sustentabilidade como fonte importante de geração de trabalho e renda para as comunidades da região.
     
    Baixar arquivo