Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.01 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Governança corporativa e desempenho econômico-financeiro de empresas estatais brasileiras
Autor:  
  João Mourão Mendes   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNIR/ADMINISTRAÇÃO
Área Conhecimento  
  ADMINISTRAÇÃO
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  243
Resumo  
  Esta pesquisa teve por objetivo identificar e analisar o relacionamento entre as práticas de governança corporativa vigentes nas empresas estatais de economia mista listadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa); controladas pelo governo central brasileiro; e o desempenho apresentado por cada uma delas no período 2005-2008. Foi elaborado também um índice de governança para as companhias federais de economia que não estão na Bovespa para mensurar a qualidade da governança dessas organizações. O quadro teórico que dá suporte ao trabalho tem por base os fundamentos da Economia dos Custos de Transação e Teoria da Agência. A população do estudo constituiu-se das empresas estatais federais constituídas como sociedades anônimas; excluídas as empresas dependentes. A partir de consultas aos endereços eletrônicos dos Ministérios da Fazenda (MF) e do Planejamento; Orçamento e Gestão (MPOG); bem como das próprias empresas da amostra; foram coletados dados referentes à governança corporativa; ao desempenho; ao controle acionário; à alavancagem; ao tamanho da companhia; à emissão ou não de American Depositary Receipts (ADR) e à adesão ou não aos níveis diferenciados de governança da Bovespa. Quanto aos métodos análise; foram utilizadas duas escalas para medir o índice de governança corporativa das empresas; sendo uma para aquelas entidades que negociam ações na bolsa; o IGOV; e outra para aquelas não listadas na bolsa; o IGOVNL. O desempenho foi mensurado por um índice de retorno sobre o patrimônio líquido (ROE). O tratamento estatístico foi realizado com o uso do aplicativo Statistical software for MS Excel (XL STAT); versão 7.5. Como principais resultados verificou-se: a) não foi encontrada relação estatisticamente significante entre as práticas de governança corporativa e o desempenho das empresas estatais registradas na Bovespa e objetos deste estudo; que pode ser consequência da combinação de duas situações; a saber: primeira; os Bancos da Amazônia (BASA) e do Nordeste (BNB) apresentaram rentabilidade média de 11;5% e 13;7%; respectivamente e os menores índices de governança (12 e 14; respectivamente; de 19 pontos possíveis) e; de outro; a Eletrobrás demonstrou boa governança (16 pontos dos mesmos 19 possíveis); porém obteve retornos médios baixos; de 2;7%. Segunda; a existência de significativa diferença na qualidade da governança entre as empresas federais que estão na Bovespa e as não listadas; sendo que o primeiro grupo alcançou a média de 80% da pontuação possível no IGOV; enquanto o conjunto das companhias não listadas registrou média de 56% no IGOVNL.
     
    Baixar arquivo