Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.08 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  A educação profissionalizante com a lei n.5692/71 no Paraná: o ensino público de São José dos Pinhais e o colégio estadual Victor Ferreira do Amaral de Curitiba
Autor:  
  Roberto Evair Falcioni   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UTFPR/TECNOLOGIA
Área Conhecimento  
  INTERDISCIPLINAR
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  2,162
Resumo  
  Este trabalho aborda a implantação da Lei n. 5.692/71 no sistema educacional brasileiro, com uma análise focada na obrigatoriedade do ensino profissionalizante em nível médio e suas consequências sociais e econômicas. Teve como objetivo investigar os impactos da Lei n.5.692/71 na educação em nível nacional, e o aprofundamento com a pesquisa de campo em dois colégios do estado do Paraná: Colégio Estadual Costa Viana da cidade de São José dos Pinhais e Colégio Estadual Victor do Amaral da capital paranaense. O intuito foi traçar um estudo comparativo da implantação da reforma educacional de 1971 entre o que a revisão de literatura afirmou ter ocorrido na década de 1970 na educação brasileira, com o que foi encontrado nos dois colégios pesquisados. Para tanto, partiu-se da descrição de um breve histórico do ensino profissional na sociedade moderna, com o seu advento no século XIX na França, passando por algumas determinadas experiências profissionalizantes, como a criação das Escolas de Aprendizes Artífices, o SENAI, as Escolas Técnicas Federais, até chegar à Lei n. 5.692 na década de 1970 no Brasil. Como conclusão foi possível apontar as conseqüências da obrigatoriedade do ensino profissionalizante, como a desqualificação do aluno no mercado de trabalho, acentuando a problemática dualidade do ensino, e como o ensino profissional acabou por reproduzir o funcionamento da estrutura social capitalista, baseada numa sociedade de exploração e desigualdade.
     
    Baixar arquivo