Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  649.28 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Vinculação do trabalhador ao sus no âmbito municipal: perspectivas de valorização baseadas na educação permanente em saúde
Autor:  
  Josenildo de Sousa Alves   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UEFS/SAÚDE COLETIVA
Área Conhecimento  
  SAÚDE COLETIVA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  465
Resumo  
  Estudo de abordagem qualitativa sobre Gestão do Trabalho (GT) e Educação Permanente em Saúde (EPS), tomando como recorte um sistema municipal de saúde do Estado da Bahia, Brasil, a partir da leitura dos trabalhadores e gestores e tendo como objetivos: analisar o processo de vinculação do trabalhador ao SUS em relação às relações trabalhistas, as condições de trabalho e sua participação na construção de uma proposta de gestão do trabalho no SUS local, discutir a Educação Permanente em Saúde enquanto estratégia de valorização e desenvolvimento dos trabalhadores que integram o SUS local. Toma como pressuposto teórico: os trabalhadores que atuam no SUS municipal carecem de capacitação para o desempenho de ações voltadas para novas práticas sanitárias, além da dificuldade de vinculação e fixação destes trabalhadores nos diferentes territórios, pela indefinição, em grande parte dos municípios de uma política voltada para a vinculação, valorização, qualificação e participação do trabalhador na gestão do SUS. A trajetória metodológica foi fundamentada na corrente histórico-social. Os sujeitos do estudo foram 14 pessoas: Grupo I (dirigentes - atuam na definição das políticas de GT = 4 pessoas), Grupo II (trabalhadores de saúde – alocados na Estratégia Saúde da Família (ESF) = 5 pessoas) e Grupo III (Informanteschave = 5 pessoas). As técnicas de coleta de dados foram entrevista semi-estruturada e análise documental. Os resultados evidenciam que no cenário escolhido para a pesquisa existem várias formas de vinculação do trabalhador ao SUS municipal e, na ESF, a estratégia para a vinculação do trabalhador é o regime de trabalho por Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que, apesar de ser considerado um atrativo, não garante a estabilidade dos trabalhadores em seus postos de trabalho e, a EPS revela-se como uma potência a ser explorada na valorização do trabalhador do SUS, bem como dispositivo de qualificação do seu trabalho, podendo ser o contraponto para qualificar a gestão do cuidado, cujo grande desafio seria a construção de sujeitos que, de fato, se sintam parte de um
     
    Baixar arquivo